Endometriose (crescimento do revestimento do útero)

Endometriose (crescimento do revestimento do útero)

Noções básicas

A endometriose é um crescimento benigno do revestimento do útero chamado endométrio. Em circunstâncias normais, o endométrio está localizado exclusivamente no útero (cavidade uterina), mas na endometriose o endométrio também cresce em outros lugares do corpo feminino. As áreas mais frequentemente afectadas são a parede externa do útero, os tecidos conjuntivos do útero e os ovários.

A endometriose também pode ocorrer no peritoneu (revestimento do abdómen), que envolve a maioria dos órgãos da cavidade abdominal, mas menos frequentemente nos próprios órgãos (como o intestino ou a bexiga urinária).

O grau de endometriose pode variar muito - geralmente só aparecem crescimentos do tamanho de uma cabeça de alfinete no peritoneu, mas também se podem desenvolver grandes quistos de sangue, especialmente nos ovários. Se a endometriose for muito pronunciada, também são possíveis aderências entre o útero, trompas de falópio, ovários, intestinos e bexiga urinária.

Não existem números fiáveis sobre a frequência da doença, mas estima-se que cerca de 4 a 12% de todas as mulheres desenvolvem a doença entre a puberdade e a menopausa.

Causas

Apesar da pesquisa intensiva, a causa exata da endometriose ainda não é clara. Uma suposição sobre o desenvolvimento da endometriose é que a interacção entre várias hormonas e o sistema imunitário é alterada de tal forma que o sistema imunitário já não consegue impedir as células de se multiplicarem no local errado do corpo.

As seguintes teorias são consideradas as mais prováveis para explicar como se desenvolvem as lesões por endometriose:

  • A teoria do transplante, segundo Sampson, baseia-se no pressuposto de que durante a menstruação as células endometriais soltas são levadas pelas trompas de Falópio (mas também através do sangue, dos vasos linfáticos ou através de cirurgia) e se instalam em outro local.
  • De acordo com a teoria da metaplasia de Meyer, as lesões da endometriose surgem directamente no local errado a partir das células embrionárias da cavidade abdominal.
  • A teoria da indução é uma mistura das teorias do transplante e da metaplasia.

Como o crescimento da endometriose depende muito da influência dos estrogénios, a doença é muito rara em raparigas pré-púberes ou em mulheres na menopausa.

Sintomas

O principal sintoma da endometriose é a dor cólica associada ao ciclo menstrual, que aumenta de vez em quando de intensidade. Contudo, cerca de 50% de todas as pessoas afectadas não sofrem de quaisquer sintomas.

A seguir estão alguns dos sintomas que podem ocorrer com a endometriose:

  • Dismenorreia (dores fortes durante a menstruação)
  • Dor no abdómen inferior que não está relacionada com a menstruação
  • Náusea
  • Dor durante a relação sexual (dyspareunia)
  • Infância
  • Desconforto ao urinar ou ao ter um movimento intestinal (bastante raro)

Diagnóstico

A endometriose é frequentemente diagnosticada com sucesso relativamente tarde - 3 a 11 anos após os primeiros sintomas. Quanto mais jovens os pacientes, mais tarde eles são diagnosticados com endometriose com sucesso. Em cerca de metade dos casos, os pacientes viram cinco ou mais médicos por causa dos sintomas, até que um diagnóstico correto seja finalmente feito.

A razão para o diagnóstico tardio é que os sintomas inespecíficos, tais como cólicas menstruais, são por vezes considerados normais tanto pelos pacientes como pelos médicos.

Os métodos de diagnóstico incluem um exame ginecológico, laparoscopia (endoscopia abdominal) ou ultra-som (embora apenas os quistos nos ovários possam ser detectados de forma fiável). A laparoscopia é o único método para um diagnóstico confiável. Sob anestesia geral, os instrumentos cirúrgicos são inseridos através de uma pequena incisão no umbigo para examinar o abdômen e remover quaisquer lesões de endometriose.

Se uma laparoscopia deve ser realizada depende principalmente da extensão dos sintomas e deve ser esclarecida em uma discussão detalhada entre o paciente e o médico.

Terapia

Se a endometriose deve ser tratada depende sempre da gravidade dos sintomas. Uma endometriose sem sintomas, descoberta acidentalmente, não tem necessariamente de ser tratada. É feita uma distinção entre os seguintes componentes de tratamento:

Cirurgia: Esta é uma terapia sensata, especialmente em casos de sintomas graves ou de desejo não satisfeito de ter filhos. As lesões por endometriose são geralmente removidas durante uma laparoscopia (ver subsecção "Diagnóstico") ou através de uma incisão abdominal maior. Apesar da cirurgia bem sucedida, o risco de recidiva é relativamente alto - muitas mulheres que se submeteram ao tratamento terão lesões de endometriose e sintomas associados novamente após vários anos. Por vezes é recomendado reduzir o risco de recidiva através de tratamentos hormonais subsequentes, mas ainda não há provas científicas da eficácia da terapia hormonal.

Terapia medicamentosa: Deve ser feita uma distinção entre terapia da dor e terapia para endometriose. Os analgésicos convencionais são usados para tratar a dor, mas as preparações hormonais são usadas para prevenir a progressão da endometriose. Estes são principalmente gestagénios ou análogos de GnRH (análogos hormonais libertadores de gonadotropina), que têm o efeito de reduzir ou parar completamente a produção de estrogénios nos ovários durante a duração do tratamento. Isto faz com que as lesões por endometriose desapareçam e os sintomas diminuam. No entanto, esta forma de terapia não é adequada para mulheres que desejam ter filhos e são inférteis devido à endometriose.

Previsão

Mesmo após uma terapia bem sucedida, a endometriose é uma doença com uma alta taxa de recorrência. Na maioria dos casos, é possível aliviar temporariamente os sintomas - mas como em muitos casos, após a interrupção do tratamento medicamentoso, os sintomas se repetem com diferentes graus de gravidade, são necessários check-ups regulares.

Com o início da menopausa e as mudanças no equilíbrio hormonal feminino que a acompanham, a endometriose geralmente regride por si só.

Prevenção

De acordo com os conhecimentos actuais, não há forma de prevenir a endometriose. A única coisa que pode ser feita é pensar na possibilidade de endometriose em caso de sintomas como o aumento/diminuição da dor no ciclo menstrual (que não tem necessariamente de ser a causa da endometriose) e ter isto esclarecido pelo médico assistente.

Anúncio

Anúncio

O seu assistente pessoal de medicamentos

Medicamentos

Pesquise aqui a nossa extensa base de dados de medicamentos de A-Z, com efeitos e ingredientes.

Substâncias

Todas as substâncias activas com a sua aplicação, composição química e medicamentos em que estão contidas.

Doenças

Causas, sintomas e opções de tratamento para doenças e lesões comuns.

O conteúdo apresentado não substitui a bula original do medicamento, especialmente no que diz respeito à dosagem e efeito dos produtos individuais. Não podemos assumir qualquer responsabilidade pela exactidão dos dados, uma vez que os dados foram parcialmente convertidos automaticamente. Um médico deve ser sempre consultado para diagnósticos e outras questões de saúde. Mais informações sobre este tópico podem ser encontradas aqui.

This website is certified by Health On the Net Foundation. Click to verify.