Herpes Genital

Herpes Genital
Classificação Internacional (CID) A60.-

Noções básicas

O herpes genital é uma doença viral contagiosa que pode afectar a pele e as membranas mucosas da zona genital. Normalmente é desencadeado pelo vírus do herpes simplex tipo 2 (HSV-2).

Os vírus do herpes simplex tipo 1 (HSV-1) geralmente causam a ferida generalizada do resfriado (herpes labial), mas também são responsáveis por 20-30% dos casos de herpes genital.

Como o HSV-1 pode ser facilmente transmitido a outras pessoas através do contacto com saliva ou infecções por esfregaço, os anticorpos (sinais de que ocorreu uma infecção) contra o vírus podem ser detectados em mais de 95% dos adultos. Com o HSV-2, este é o caso em 10-30% da população adulta.

Causas

A via de transmissão do herpes genital é geralmente a relação sexual desprotegida, sendo o risco maior para as mulheres do que para os homens. O risco de infecção é maior no período pouco antes do aparecimento das vesículas e enquanto elas são visíveis. Também é possível que os vírus sejam transmitidos da mãe infectada para a criança durante a gravidez ou o parto.

Os sintomas do herpes genital são desencadeados pelo ataque do vírus do herpes simples às células da epiderme, resultando na formação de bolhas cheias de líquido com alto teor de vírus. De lá, o vírus entra nas terminações nervosas dos neurónios sensíveis e viaja ao longo das vias nervosas até aos gânglios (pontos de comutação entre nervos), onde se instala e pode permanecer numa espécie de estado latente (fase latente) para toda a vida. Especialmente em pessoas imunocomprometidas (por exemplo, como resultado de operações, imunossupressão após transplantes de órgãos ou AIDS), os vírus do herpes simples podem ser reativados a partir de seu estado dormente, espalhados por todo o corpo e desencadear doenças graves.

Sintomas

O período de incubação após a infecção inicial com herpes genital é entre 2 e 12 dias. Subsequentemente, podem ocorrer sintomas ligeiros como febre, gânglios linfáticos inchados, dor de cabeça e dores musculares, bem como dores ardentes nos órgãos genitais, ânus ou quando urina. Na zona genital, pequenas bolhas de cor clara desenvolvem-se numa zona de pele avermelhada. Estes estão muitas vezes próximos uns dos outros em pequenos grupos (herpetiforme) e cicatrizam após cerca de duas a três semanas. A infecção pode ser completamente livre de sintomas em algumas pessoas.

Se uma infecção com o vírus do herpes simples ocorrer em recém-nascidos (por exemplo, durante o nascimento), isso pode levar a uma condição de risco de vida com febre alta e o desenvolvimento de bolhas em todo o corpo.

Como uma infecção quase sempre leva à persistência do vírus (os patógenos permanecem adormecidos para toda a vida em certos recuos no corpo e não podem ser completamente eliminados pelo sistema imunitário), o vírus pode ser reactivado a qualquer momento e desencadear novamente o herpes genital. Os primeiros sinais disto são formigueiros ou picadas desagradáveis na zona genital. Em poucas horas ou dias, pequenas bolhas podem reaparecer na pele, que em casos graves podem alastrar dos genitais até às coxas e nádegas.

O sexo oral também pode causar os sintomas descritos acima na boca e na garganta. Quando se pratica sexo anal, é possível uma infecção do ânus, que pode levar a descargas sangrentas e dor no ânus.

Além disso, é possível que a reativação dos vírus do herpes simples ocorra sem nenhum sintoma. É importante saber que mesmo durante este período aparentemente sem sintomas, as partículas de vírus são excretadas através das membranas mucosas e podem infectar outras pessoas.

Diagnóstico

O curso da doença e a erupção cutânea típica na zona genital dão ao médico assistente uma primeira indicação da presença de herpes genital. No entanto, um diagnóstico confiável só pode ser feito por meio de um exame laboratorial. Para este fim, toma-se um esfregaço das bolhas cheias de líquido, que é depois examinado no laboratório utilizando um microscópio electrónico ou uma PCR (reacção em cadeia da polimerase para a detecção de ADN viral). Outra possibilidade é a detecção de anticorpos contra o vírus no sangue.

Terapia

Os virustáticos (agentes antivirais como o aciclovir, valaciclovir, famciclovir) são usados para tratar o herpes genital, podendo encurtar o curso da doença e aliviar os sintomas. Quanto mais cedo o medicamento for tomado, maior será o sucesso da terapia - razão pela qual o tratamento medicamentoso para uma primeira infecção geralmente começa imediatamente após o exame físico, mesmo antes dos resultados confirmados do exame laboratorial estarem disponíveis.

A administração sistêmica do medicamento (comprimidos orais, injeção intravenosa) é muitas vezes mais eficaz do que a aplicação local com pomadas. Além das drogas virais, que são tomadas durante um período de cinco a dez dias, às vezes é necessário tomar um analgésico. Em caso de mau estado geral ou de sintomas como pescoço duro ou confusão, é necessário um tratamento hospitalar em regime de internamento.

Se uma pessoa tem mais de seis surtos de herpes genital por ano, o tratamento a longo prazo com medicamentos virais pode ser útil para reduzir o número de ataques. Após cerca de um ano, o tratamento deve ser interrompido para verificar se o número de surtos de herpes permaneceu baixo nesse meio tempo, mesmo sem medicação.

Virustáticos contra herpes genital não são aprovados para tratamento durante a gravidez. No entanto, ainda são prescritos em casos individuais para proteger o recém-nascido da infecção com o vírus do herpes.

Previsão

O curso do herpes genital varia muito de pessoa para pessoa - desde pacientes com surtos mensais até pacientes com períodos de dormência que duram anos. O tipo de vírus também desempenha um papel importante na gravidade da doença, uma vez que as infecções com o vírus do herpes simplex tipo 2 têm uma frequência de surtos muito maior do que o tipo 1. As pessoas com um estado imunitário enfraquecido também têm surtos mais frequentes. No entanto, o herpes genital ocorre com menos frequência com o aumento da idade.

Após a ocorrência de uma infecção, o vírus geralmente permanece em uma espécie de dormência no corpo por toda a vida (chamada persistência) sem desencadear quaisquer sintomas. Em certas circunstâncias, como stress, imunossupressão, outras doenças ou flutuações hormonais durante o ciclo menstrual, o vírus pode ser reactivado e desencadear novamente o herpes genital.

Complicações do herpes genital incluem o seguinte:

  • A infecção bacteriana pode ocorrer nas bolhas de herpes, causando um foco de inflamação.
  • O herpes genital pode se espalhar para os olhos, o que leva a uma visão deficiente.
  • A infecção do nascituro é possível durante a gravidez. A criança por nascer geralmente fica gravemente doente, muitas vezes com consequências fatais.
  • A infecção pelo vírus do herpes durante o parto pode causar doenças graves no recém-nascido, como encefalite (inflamação do cérebro) ou septicemia (envenenamento do sangue).
  • Em pessoas imunocomprometidas (doentes com SIDA, imunossupressão como resultado do transplante de órgãos), os vírus do herpes simples podem desencadear uma pneumonia grave.

Prevenção

Uma vez que o herpes genital é transmitido principalmente através do contacto sexual, como relações sexuais ou sexo oral, o uso consistente de preservativos oferece uma boa protecção contra infecções.

No caso de uma possível doença, esta deve ser esclarecida por um médico o mais cedo possível, a fim de evitar a progressão da doença e manter baixo o risco de infecção para possíveis parceiros sexuais.

Anúncio

Anúncio

O seu assistente pessoal de medicamentos

Medicamentos

Pesquise aqui a nossa extensa base de dados de medicamentos de A-Z, com efeitos e ingredientes.

Substâncias

Todas as substâncias activas com a sua aplicação, composição química e medicamentos em que estão contidas.

Doenças

Causas, sintomas e opções de tratamento para doenças e lesões comuns.

O conteúdo apresentado não substitui a bula original do medicamento, especialmente no que diz respeito à dosagem e efeito dos produtos individuais. Não podemos assumir qualquer responsabilidade pela exactidão dos dados, uma vez que os dados foram parcialmente convertidos automaticamente. Um médico deve ser sempre consultado para diagnósticos e outras questões de saúde. Mais informações sobre este tópico podem ser encontradas aqui.

This website is certified by Health On the Net Foundation. Click to verify.