Inflamação da vesícula biliar (colecistite)

Inflamação da vesícula biliar (colecistite)

Noções básicas

A inflamação da vesícula biliar é quando a vesícula biliar, que está localizada abaixo do fígado e mede aproximadamente doze por quatro centímetros, está inflamada. Normalmente, a vesícula biliar é responsável pelo armazenamento da bílis produzida pelo fígado.

A inflamação da vesícula biliar é comum na população, com as mulheres a serem afectadas com um pouco mais de frequência em média. Os cálculos biliares (colelitíase) são considerados a causa em 90 por cento dos casos.

Causas

Como já foi mencionado, as pedras na vesícula biliar são o principal gatilho para a inflamação da vesícula biliar. Esta inflamação ocorre quando bactérias do duodeno, onde parte do ducto biliar (ductus choledochus) se abre, migram através do ducto biliar para a vesícula biliar e se prendem às pedras ali existentes.

Em alguns casos, a colecistite ocorre sem a presença de pedras. Neste caso, pode ser o resultado de um distúrbio circulatório e é mais comum em pessoas idosas.

Sintomas

Os sintomas característicos da colecistite são dor na parte superior direita do abdómen e febre. Ocasionalmente, a vesícula biliar aumentada é também palpável ou visível.

Outros sintomas incluem:

  • Amarelecimento da pele (icterícia)
  • Perda do apetite
  • Náuseas e vómitos

Diagnóstico

Para diagnosticar uma inflamação da vesícula biliar, o médico assistente palpa o abdômen do paciente e faz um histórico médico. Normalmente, também é colhida uma amostra de sangue, uma vez que valores sanguíneos alterados podem ser sinais de inflamação no sistema biliar. Se os valores da inflamação (leucócitos, PCR), assim como certos valores hepáticos estão elevados, pode-se assumir uma inflamação.

Com a ajuda de ultra-som (sonografia), uma vesícula biliar aumentada e o típico espessamento inflamatório da parede pode ser detectado. Quaisquer pedras que possam estar presentes também podem ser vistas.

Com a ajuda da chamada ERCP (colangiopancreatografia retrógrada endoscópica), o canal biliar, a vesícula biliar e o canal excretor do pâncreas podem ser facilmente visualizados.

Terapia

Se o paciente sofre de inflamação aguda da vesícula biliar causada por cálculos biliares, normalmente é realizada uma cirurgia. Se a operação começar o mais cedo possível, há também a perspectiva de um melhor sucesso terapêutico. Durante a operação, a vesícula biliar inteira é normalmente removida (colecistectomia).

Em alguns casos, a vesícula biliar pode estar aumentada por causa da inflamação. Se for este o caso, a cirurgia por laparoscopia não é possível, pelo que o cirurgião tem de operar convencionalmente com uma incisão através da parede abdominal. Se o paciente tem uma inflamação supurante, também são utilizados antibióticos.

Se o exame de ultra-som mostrar que a pedra está nos canais biliares de drenagem, pode ser feita uma tentativa de removê-la usando o ERCP. Ocasionalmente, as pedras também podem ser dissolvidas com a ajuda de medicamentos (litólise sistêmica) ou quebradas por ondas de choque. Os fragmentos resultantes são excretados através dos intestinos.

Como a vesícula biliar não é um órgão vital, ela pode ser mantida viva sem problemas. Somente uma intolerância a alimentos gordurosos ou fortemente condimentados pode se tornar perceptível. No entanto, esta reacção diminui com o passar dos anos.

Previsão

A cirurgia na vesícula biliar é uma operação diária e geralmente é bem tolerada. No entanto, se o paciente sofrer de inflamação maciça ou se houver risco de perfuração da vesícula biliar, o curso da doença pode ser retardado.

Uma das possíveis complicações da colecistite é a perfuração. Isto pode levar à inflamação do peritoneu (peritonite), que pode ser fatal. Além disso, pode ocorrer obstrução da vesícula biliar, supuração da vesícula biliar, retenção de líquidos (edema) e morte tecidual (necrose).

Os riscos da cirurgia incluem os habituais, como problemas de cicatrização de feridas, sangramento e formação de um coágulo de sangue (trombose), bem como o risco de lesão de um ducto biliar.

Anúncio

Anúncio

O seu assistente pessoal de medicamentos

Medicamentos

Pesquise aqui a nossa extensa base de dados de medicamentos de A-Z, com efeitos e ingredientes.

Substâncias

Todas as substâncias activas com a sua aplicação, composição química e medicamentos em que estão contidas.

Doenças

Causas, sintomas e opções de tratamento para doenças e lesões comuns.

O conteúdo apresentado não substitui a bula original do medicamento, especialmente no que diz respeito à dosagem e efeito dos produtos individuais. Não podemos assumir qualquer responsabilidade pela exactidão dos dados, uma vez que os dados foram parcialmente convertidos automaticamente. Um médico deve ser sempre consultado para diagnósticos e outras questões de saúde. Mais informações sobre este tópico podem ser encontradas aqui.

This website is certified by Health On the Net Foundation. Click to verify.