Inflamação pélvica renal (pielonefrite)

Inflamação pélvica renal (pielonefrite)

Noções básicas

Descrição

A inflamação pélvica renal descreve uma infecção aguda ou crónica da pélvis renal e possivelmente também do tecido renal. As mulheres são muito mais frequentemente afectadas pela doença aguda do que os homens devido ao facto de o tracto urinário ser mais curto.

Uma infecção anterior da bexiga é geralmente responsável por uma inflamação pélvica renal. Numa infecção do tracto urinário ascendente, os germes podem passar da bexiga através dos ureteres para a pélvis renal. O curso da doença é caracterizado por febre alta, dores muitas vezes fortes, náuseas e mal-estar geral. Se não forem tratados, podem formar-se abcessos no rim, levando a uma inflamação crónica e a uma redução da função renal.

A inflamação pélvica renal aguda pode ser crônica e permanecer assintomática por um longo período de tempo devido à drenagem urinária prejudicada (por exemplo, refluxo vesicoureteral, estrangulamento ureteral). O tecido dos rins fica cicatrizado e pode ser danificado ao ponto de falhar totalmente. A diálise (lavagem artificial do sangue) é então inevitável.

Causas

Em pessoas saudáveis, não há germes no trato urinário ou na urina que possam causar inflamação da pélvis renal. As bactérias são frequentemente originárias do intestino (por exemplo, E.Coli).

Os distúrbios da drenagem urinária (cálculos renais, tumores, aumento da próstata), paraplegia ou malformações do trato urinário têm um efeito favorável.

Outros factores de influência:

  • Atividade sexual
  • Gravidez
  • Infecções do tracto urinário (últimos 12 meses)
  • Distúrbios metabólicos (gota, diabetes mellitus)
  • Imunodeficiência
  • Abuso do analgésico
  • Cirurgia do tracto urinário

Sintomas

Inflamação aguda da pélvis renal

  • Febre repentina e alta
  • Dor grave no flanco (pode irradiar para a pélvis)
  • Náuseas, vómitos
  • Tensão defensiva entre as costelas e a coluna vertebral
  • Urinação frequente e dolorosa (rara)

Inflamação crónica da pélvis renal

Devido ao curso lento e contínuo da doença, os sintomas são bastante incaracterísticos.

  • Febre inexplicada
  • Dores de costas e dores de cabeça crónicas
  • Mal-estar geral
  • Dificuldade para urinar
  • Dor de estômago, vómitos
  • Pressão arterial elevada

Se suspeitar que tem pielite crónica, deve consultar um médico, pois isso limita o desempenho dos rins.

Diagnóstico

Além do histórico médico e de uma descrição precisa das queixas existentes, é necessário um exame físico. As amostras de sangue e urina fornecem informações sobre a função renal. Em caso de febre alta, uma cultura bacteriana pode ser cultivada a partir da amostra de sangue.

Um exame ultra-sonográfico irá revelar possíveis causas de retenção urinária (por exemplo, pedras nos rins). Se a febre persistir por mais de 72 horas apesar da antibioticoterapia, são necessários mais exames:

  • exame de raio X
  • Spiral CT (tomografia computadorizada especial)
  • Cintigrafia dos rins

Terapia

A terapia com medicamentos é iniciada antes mesmo de se receberem os resultados do exame. Um antibiótico com um amplo espectro de atividade é usado para cobrir o maior número possível de patógenos potenciais. A medicação é tomada durante 7 a 21 dias. A terapia pode ser ajustada assim que o germe tenha sido identificado.

O sucesso do tratamento é apoiado pela ingestão suficiente de líquidos (pelo menos 2 litros por dia), repouso na cama e evitar todos os medicamentos que possam stressar os rins. Os antiespasmódicos e analgésicos podem ajudar contra dores fortes, por exemplo, Buscopan ou Novalgin.

O fluxo perturbado da urina também deve ser tratado. No caso de inflamação recorrente, a medicação ou a duração da terapia é variada.

Anormalidades no trato urinário podem requerer intervenção cirúrgica.

Previsão

Normalmente, uma inflamação aguda da pélvis renal cicatriza sem consequências. Os achados urinários normalizam após apenas alguns dias.

Infecçõesrecorrentes podem levar a um comprometimento do desempenho renal, mais raramente a sepse (envenenamento do sangue) ou a abscessos (acumulação de pus). Se a causa for encontrada e tratada, no entanto, a inflamação repetida também cicatrizará.

Prevenção

  • Beba pelo menos 2l de líquido por dia (água ou chá não adoçado). Os rins são suportados na sua função e os germes podem possivelmente ser expelidos.
  • Evite a hipotermia e o ensopar.
  • Para a higiene íntima, não utilizar sprays, perfumes ou desinfectantes. Estes danificam a pele sensível e tornam-na mais susceptível a germes.
  • Problemas de drenagem urinária e cálculos renais devem ser tratados.

Anúncio

Anúncio

O seu assistente pessoal de medicamentos

Medicamentos

Pesquise aqui a nossa extensa base de dados de medicamentos de A-Z, com efeitos e ingredientes.

Substâncias

Todas as substâncias activas com a sua aplicação, composição química e medicamentos em que estão contidas.

Doenças

Causas, sintomas e opções de tratamento para doenças e lesões comuns.

O conteúdo apresentado não substitui a bula original do medicamento, especialmente no que diz respeito à dosagem e efeito dos produtos individuais. Não podemos assumir qualquer responsabilidade pela exactidão dos dados, uma vez que os dados foram parcialmente convertidos automaticamente. Um médico deve ser sempre consultado para diagnósticos e outras questões de saúde. Mais informações sobre este tópico podem ser encontradas aqui.

This website is certified by Health On the Net Foundation. Click to verify.