Aumento do risco de doença auto-imune devido a neurodermatite

Medikamio Hero Image

Anúncio

Enquanto nos anos 60 apenas 2% a 3% das crianças eram afectadas por uma doença de pele, actualmente entre 10% e 15% dos jovens sofrem de neurodermatite. A dermatose pode aumentar a susceptibilidade a alergias, mas se existe uma ligação com doenças auto-imunes foi agora investigada num estudo recente da Suécia.

Pele avermelhada com prurido - Uma mulher arranha o braço

shutterstock.com / Astrid Gast

Neurodermatite definida:

A neurodermatite, também chamada dermatite atópica, é uma doença cutânea hereditária crónica ou crónica recorrente (ou seja, recidiva). A dermatite inflamatória ocorre frequentemente na primeira infância. Comichão grave, pele seca e/ou eczema (ou seja, alterações inflamatórias da pele) são os sintomas mais comuns. Embora a causa exacta ainda seja desconhecida, vários factores podem ser responsáveis pelo desenvolvimento da doença - incluindo uma barreira cutânea perturbada ou hereditária. As crises são geralmente desencadeadas por certos factores (ou seja, desencadeadores), tais como alimentos específicos ou condições meteorológicas. Os sintomas podem variar muito - enquanto em alguns pacientes a doença de pele toma um curso suave, outros podem sofrer de sintomas graves.

A dermatite atópica pode ser tratada com vários medicamentos, tais como cortisona e tacrolimus, ou em formas graves com ciclosporina. O estudo, publicado em outubro de 2020, investigou uma associação entre dermatite atópica e uma doença auto-imune na população sueca.

O que é uma doença auto-imune?

Numa doença auto-imune, os próprios mecanismos de defesa do corpo atacam os seus próprios tecidos através de uma diferenciação "errada" das células do corpo. Esta tolerância prejudicada do sistema imunitário pode ser limitada a um órgão específico ou afectar vários sistemas de órgãos. Também aqui, as causas ainda não são claras, embora as infecções ou a gravidez possam ter influência no desenvolvimento. Se a doença for diagnosticada através da detecção de auto-anticorpos (ou seja, anticorpos que ligam um antigénio endógeno), podem ser utilizados os chamados imunossupressores. Tais substâncias reduzem as funções do sistema imunológico.

O estudo, publicado no British Journal of Dermatology, identificou doenças auto-imunes em pacientes utilizando códigos CDI (ou seja, Classificação Internacional de Doenças). A Classificação Internacional de Doenças é um sistema de classificação mundialmente reconhecido para diagnósticos médicos publicado pela OMS.

Desenho de estudo sueco:

Para este estudo de controlo de casos foram utilizados registos nacionais de saúde suecos, tendo como referência a população com 15 anos ou mais de idade entre 1968 e 2016. Os casos foram comparados por sexo e idade. Neste estudo, 104.832 pacientes diagnosticados com dermatite atópica em uma clínica ou por um especialista, foram acompanhados e estudados com 10 pessoas da mesma idade e sexo, escolhidas aleatoriamente.

Resultados:

Os resultados mostraram que os pacientes com dermatite atópica eram, em média, duas vezes mais propensos a ter doença auto-imune. O odds ratio, ou seja, a força da associação entre estas duas características, foi estatisticamente significativo com um valor calculado de 1,97. As associações mais fortes foram registradas em pacientes com múltiplas doenças auto-imunes da pele. Os pacientes com neurodermatite tinham até dez vezes mais probabilidade de desenvolver dermatite herpetiforme (ou seja, dermatose auto-imune com bolhas) e apresentavam um risco cinco vezes maior de alopecia areata (ou seja, queda de cabelo) e urticária crônica (ou seja, urticária).

Além disso, os pacientes com dermatite atópica eram mais propensos a desenvolver doenças gastrointestinais com doenças auto-imunes como a doença celíaca (isto é, doença do intestino delgado causada pela intolerância ao glúten), doença de Crohn (isto é, doença inflamatória intestinal crônica), ou colite ulcerativa (isto é, doença intestinal do reto). Doenças do tecido conjuntivo como a artrite reumatóide (ou seja, doença das articulações) também foram observadas com mais frequência naquelas estudadas.

Em geral, estas associações eram ligeiramente mais pronunciadas nos homens do que nas mulheres. No entanto, esta associação sexual específica foi significativa apenas para as doenças das articulações e do intestino delgado.

Conclusão:

Este estudo baseado na população mostrou uma associação significativa entre dermatite atópica e aumento do risco de doença auto-imune. Em comparação com apenas uma doença auto-imune, os doentes com múltiplas doenças auto-imunes mostram uma associação mais forte com a dermatite atópica. Assim, este estudo oferece novas perspectivas significativas relacionadas com a dermatite atópica da doença de pele.


Ingredientes ativos:

    Autor

    Danilo Glisic

    Última Actualização

    01.02.2021

    Anúncio

    Partilhar

    Anúncio

    O seu assistente pessoal de medicamentos

    Medicamentos

    Pesquise aqui a nossa extensa base de dados de medicamentos de A-Z, com efeitos e ingredientes.

    Substâncias

    Todas as substâncias activas com a sua aplicação, composição química e medicamentos em que estão contidas.

    O conteúdo apresentado não substitui a bula original do medicamento, especialmente no que diz respeito à dosagem e efeito dos produtos individuais. Não podemos assumir qualquer responsabilidade pela exactidão dos dados, uma vez que os dados foram parcialmente convertidos automaticamente. Um médico deve ser sempre consultado para diagnósticos e outras questões de saúde. Mais informações sobre este tópico podem ser encontradas aqui.

    This website is certified by Health On the Net Foundation. Click to verify.