Um teste de urina para detectar cancro do útero?

Medikamio Hero Image

Anúncio

Com cerca de 12.000 novos casos por ano, o cancro do útero é um dos cancros mais comuns nas mulheres na Alemanha. Actualmente, as mulheres são examinadas dentro do útero com a ajuda de um telescópio estreito. 31% deles experimentam dificuldades técnicas ou dores insuportáveis - e por isso têm de repetir o procedimento. É por isso que os pesquisadores britânicos desenvolveram agora um método de diagnóstico simples e não invasivo.

Ilustração de um útero humano.

shutterstock.com / Anatolir

Cancro do útero explicado:

O útero, também chamado útero, é um órgão muscular oco. Em forma assemelha-se a uma pêra ao contrário e está dividida da seguinte forma:

  • Cavidade uterina (Cavum uteri): dentro do útero com o interior plano.
  • Corpo do útero (corpus uteri): Os dois terços superiores do útero. Na parte mais alta está a chamada cúpula (fundus uteri).

Ocancro do útero, também chamado carcinoma uterino (ou carcinoma do corpus), desenvolve-se na parte superior do útero e é um tumor maligno do corpo uterino. Desenvolve-se quase exclusivamente a partir do endométrio, a membrana mucosa dentro do útero, e não da camada muscular, como é o caso de muitos outros tipos de cancro. O carcinoma uterino é considerado o quarto câncer mais comum nas mulheres - com uma idade média de início de vida de cerca de 68 anos. A maioria dos diagnósticos é feita durante a menopausa, uma vez que ocorrem alterações na mucosa durante este período, e as células individuais podem transformar-se em células cancerígenas através de mutação. É por isso que o termo carcinoma endometrialé utilizado na terminologia técnica.

O carcinoma endometrial geralmente se manifesta com hemorragia - a chamada hemorragia pós-menopausa. (Cuidado: Por outro lado, apenas 5-10% das hemorragias pós-menopausa estão subjacentes a um carcinoma uterino). Atualmente, as malignidades são diagnosticadas por ultra-sonografia transvaginal, histeroscopia ambulatória (ou seja, procedimentos que utilizam um telescópio estreito dentro do útero) e biópsia endometrial. Devido a falha técnica ou dor insuportável, até 31 % das mulheres têm de repetir o exame sob anestesia geral.

Teste não-invasivo:

Neste contexto, é particularmente importante completar exames de rastreio regulares para que um possível tumor possa ser detectado e tratado numa fase precoce. Para facilitar a detecção precoce, novas estratégias são, portanto, urgentemente necessárias para permitir a histerectomia curável (ou seja, a remoção cirúrgica parcial ou total do útero) em mulheres com doenças agressivas.

Atualmente, milhões de mulheres sem câncer endometrial passam por esses testes invasivos a cada ano, resultando em implicações financeiras para os prestadores de cuidados de saúde e custos pessoais para as mulheres. Por causa disso, os investigadores criaram agora um teste simples, fácil de administrar e não invasivo para rastrear mulheres com câncer de útero, enquanto a maioria das mulheres saudáveis teria a incerteza removida por este teste.

A análise da Universidade de Manchester, publicada na revista Nature Communications, descreve o teste não-invasivo, que pode ser coletado por mulheres de casa. Envolve o diagnóstico do carcinoma através da recolha de uma amostra de urina ou vaginal sob um microscópio.

Novo estudo:

Um total de 216 mulheres participaram deste estudo. 103 deles tinham carcinoma uterino conhecido ou suspeito e 113 ainda tinham hemorragia pós-menopausa inexplicada. A idade média era de 61 anos e o IMC deles era de 30 kg/m2. As mulheres com câncer de endométrio tinham em média 68,5 anos, enquanto o grupo com sangramento pós-menopausa registrou uma média de 58 anos.

Resultados promissores:

O novo procedimento de teste foi capaz de identificar 91,7% das mulheres com câncer de útero. A proporção sem câncer uterino que deu negativo com o novo teste foi de 88,9%.

Segundo o estudo, estes resultados mostram que as células cancerosas uterinas podem ser detectadas em amostras de urina e vaginais usando um microscópio. Assim, as mulheres que apresentarem resultados positivos podem ser encaminhadas para análise diagnóstica, enquanto as que apresentarem resultados negativos não necessitarão de cirurgia invasiva. Como já se sabe que o cancro do útero liberta células malignas através do colo do útero para o tracto genital inferior, estas células podem ser recolhidas por lavagem ou a partir de amostras de urina autocolhidas. O procedimento conhecido como citologia para testar as células pode ser um método útil, uma vez que a perícia e a infra-estrutura necessária para o fazer já está normalmente disponível nas unidades de saúde. Os pesquisadores acreditam que o novo teste é uma solução simples e fácil de administrar que poderia ser usada como um método de triagem (ou seja, priorização dos cuidados médicos) para mulheres com suspeita de câncer uterino. Custos mais baixos, prazos de entrega rápidos e o potencial de diagnóstico laboratorial próximo do paciente (ou seja, diagnóstico diretamente no hospital, consultório médico ou farmácia) podem estar entre as vantagens de tal método.

Conclusão:

Segundo estudos, o câncer uterino é o sexto câncer mais comum em mulheres no mundo, com cerca de 380.000 diagnósticos anuais. Enquanto a maioria das mulheres com sangramento pós-menopausa tem boas chances prognósticas, apenas 5-10% delas têm patologia maligna. De acordo com pesquisas, o recém desenvolvido teste não-invasivo de urina poderia ajudar a diagnosticar a maioria das mulheres de forma mais eficaz através deste método mais rápido, menos caro e mais amigável ao paciente. Apesar dos resultados promissores, ainda são necessários estudos diagnósticos maiores em mulheres com hemorragia inexplicada pós-menopausa para confirmar um teste diagnóstico definitivo.

    Autor

    Danilo Glisic

    Última Actualização

    30.08.2021

    Anúncio

    Partilhar

    Anúncio

    O seu assistente pessoal de medicamentos

    Medicamentos

    Pesquise aqui a nossa extensa base de dados de medicamentos de A-Z, com efeitos e ingredientes.

    Substâncias

    Todas as substâncias activas com a sua aplicação, composição química e medicamentos em que estão contidas.

    O conteúdo apresentado não substitui a bula original do medicamento, especialmente no que diz respeito à dosagem e efeito dos produtos individuais. Não podemos assumir qualquer responsabilidade pela exactidão dos dados, uma vez que os dados foram parcialmente convertidos automaticamente. Um médico deve ser sempre consultado para diagnósticos e outras questões de saúde. Mais informações sobre este tópico podem ser encontradas aqui.

    This website is certified by Health On the Net Foundation. Click to verify.