Código ATC: N05AL01

Dogmatil Forte

Dogmatil Forte
Substância(s) Sulpirida
Admissão Portugal
Produtor Sanofi-Aventis - Produtos Farmacêuticos, Lda.
Narcótica Não
Grupo farmacológico Antipsicóticos

Titular da autorização

Sanofi-Aventis - Produtos Farmacêuticos, Lda.

Folheto

O que é e como se utiliza?

2.9.2 Sistema Nervoso Central. Grupo farmacoterapêutico Psicofármacos.Antipsicóticos

Indicações Terapêuticas

  • Estados depressivos
  • Inibição psicomotora nas depressões e psicoses
  • Psicoses agudas e crónicas

O que se deve tomar em consideração antes de utilizá-lo?

Não tome Dogmatil

  • Se tiver hipersensibilidade à substância activa ou a qualquer dos excipientes.
  • Se tem tumores prolactino-dependentes associados, como por exemplo, tumores da hipófise (prolactinomas) e cancro da mama.
  • Se tem feocromocitoma.

Quando associado com levodopa (ver "ao tomar Dogmatil com outros medicamentos")

Tome especial cuidado com Dogmatil

Como para outros neurolépticos, pode ocorrer a Síndrome Maligna dos neurolépticos, uma complicação potencialmente fatal que é caracterizada por hipertermia, rigidez muscular e sintomatologia neuro-vegetativa. Em caso de hipertermia não diagnosticada deverá descontinuar-se o tratamento com sulpirida.

Dever-se-á ter precaução quando da prescrição de sulpirida a doentes com doença de Parkinson; sulpirida só deverá ser usada se o tratamento com neurolépticos não puder ser evitado.

Foi notificada hiperglicémia em doentes tratados com alguns agentes antipsicóticos atípicos. Doentes com diagnóstico estabelecido de diabetes mellitus ou com factores de risco para diabetes que iniciaram sulpirida, devem realizar uma monitorização apropriada da glicémia.

Os neurolépticos podem baixar o limiar epiletpogénico e foram notificados alguns casos de convulsões com a sulpirida (ver efeitos secundários). Assim, os doentes com antecedentes de epilepsia deverão ser rigorosamente monitorizados durante o tratamento com sulpirida.

No caso de insuficiência renal, a dose deve ser reduzida. (ver posologia)

Nos doentes idosos, tal como para outros neurolépticos, a sulpirida deve ser usada com particular precaução. (ver posologia)

Deve ter-se particular atenção aquando da prescrição de sulpirida a crianças visto a sua eficácia e segurança não terem sido completamente estudadas (ver posologia e modo de administração)
Em doentes com comportamento agressivo ou agitação acompanhada de impulsividade, a sulpirida pode ser administrada com um sedativo.

Prolongamento do intervalo QT:
Sulpride provoca prolongamento dose-dependente do intervalo QT (ver efeitos secundários). Este efeito é conhecido por aumentar o risco de arritmia ventricular grave tal como "torsades de pointes".
Antes de administrar este medicamento, e se o quadro clínico o permitir, é recomendável verificar se existem factores que possam promover a ocorrência de arritmia, tais como:

  • bradicardia inferior a 55bpm,
  • desequilíbrio electrolitico, nomeadamente hipocaliémia,
  • prolongamento congénito do intervalo QT,
  • existência de medicação passível de provocar bradicardia pronunciada (< 55 bpm), hipocaliémia, lentificação da condução intracardíaca ou prolongamento do intervalo QTc (ver "ao tomar Dogmatil com outros medicamentos")

Acidente vascular cerebral: em ensaios clínicos randomizados versus placebo realizados numa população idosa com demência e tratada com certos medicamentos antipsicóticos atípicos, foi observado um aumento de 3 vezes no risco de eventos cerebrovasculares. O mecanismo deste aumento de risco não é conhecido. Um aumento do risco com outros medicamentos antipsicóticos, ou outras populações de doentes não pode ser excluído. Sulpirida deve ser usada com precaução em doentes com factores de risco de AVC.

Se você ou alguém da sua família tem antecedente (ou história) de coágulos no sangue, uma vez que este tipo de medicamentos estão associados à formação de coágulos sanguíneos.

Ao tomar Dogmatil com outros medicamentos

  • Associações contra-indicadas

Levodopa: antagonismo recíproco dos efeitos entre a levodopa e os neurolépticos.

Associações não recomendadas

Álcool: potenciação dos efeitos sedativos dos neurolépticos.

Associação com os seguintes medicamentos que podem prolongar o intervalo QT ou induzir ?torsades de pointes? (ver "Tome especial cuidado com Dogmatil"):

  • Medicamentos indutores de bradicardia tais como beta-bloqueantes, bloqueadores dos canais de cálcio que induzem bradicardia tais como diltiazem e verapamil, clonidina, guanfacina; digitálicos.
  • Medicamentosindutores de hipocaliémia: diuréticos espoliadores de potássio, laxantes estimulantes, anfotericina B IV, glucocorticóides, tetracosactidos. Deverá corrigir-se a hipocaliémia.
  • Fármacos anti-arrítmicos da classe Ia tais como quinidina, disopiramida.
  • Fármacos anti-arrítmicos da classe III tais como amiodarona, sotalol.
  • Outros medicamentos tais como pimozide, sultopride, haloperidol; antidepressivos imipramínicos; lítio, bepridil, cisapride, tioridazina, metadona, eritromicina IV,vincamina IV, halofantrina, pentamidina, sparfloxacina.

Associações a ter em atenção

Medicamentos anti-hipertensores: efeito anti-hipertensor e risco de aumento de hipotensão ortostática (efeito aditivo).

Depressores do SNC incluindo narcóticos, analgésicos, anti-histamínicos sedativos H1, barbitúricos, benzodiazepinas e outros ansiolíticos, clonidina e derivados.

Antiácidos e sucralfato: diminuição da absorção da sulpirida, após co-administração. Contudo, a sulpirida deve ser administrada pelo menos duas horas antes destes fármacos.

Ao tomar Dogmatil com alimentos e bebidas

Associações a evitar:
Álcool: o álcool potencializa o efeito sedativo dos neurolépticos. Evitar a ingestão de bebidas alcoólicas e de medicamentos contendo álcool.

Gravidez e aleitamento

Gravidez:

Uma diminuição na fertilidade relacionada com os efeitos farmacológicos do medicamento (efeito mediado pela prolactina) foi observada em animais tratados. Estudos em animais não demonstraram efeitos nocivos directos ou indirectos em relação à gravidez, desenvolvimento embrionario/fetal ou desenvolvimento pós-natal. No homem os dados clínicos disponíveis de gravidezes expostas são limitados.
A maior parte das perturbações fetais e neonatais reportadas no contexto do uso de sulpirida durante a gravidez podem ter interpretações alternativas e que parecem mais prováveis. Assim sendo o uso da sulpirida não é recomendável durante a gravidez devido à limitada experiência.
Se sulpirida for usada durante a gravidez, deve ser considerada a monitorização apropriada do recém-nascido em termos de perfil de segurança.

Consulte o seu médico ou farmacêutico antes de tomar qualquer medicamento

Aleitamento:

Como a sulpirida é excretada no leite materno não se recomenda a amamentação durante o período de tratamento.

Condução de veículos e utilização de máquinas

Mesmo nas doses recomendadas, Sulpirida causa sedação o que pode alterar a capacidade de condução de veículos ou de utilização de máquinas (ver efeitos secundários).

Informações importantes sobre alguns componentes do Dogmatil Forte 200 mg comprimidos

Este medicamento contém lactose (50,44 mg por comprimido). Se foi informado pelo seu médico que possui intolerância a alguns açúcares, contacte-o antes de tomar este medicamento.

Como é utilizado?

Tomar Dogmatil sempre de acordo com as indicações do médico. Fale com o seu médico ou farmacêutico se tiver dúvidas.

Posologia usual com referência à dose máxima

A regular pelo médico de acordo com cada caso clínico. Em média no adulto:

Nos estados depressivos:

Nos estados em que predomina a lentificação, abulia e apragmatismo a dose a utilizar varia entre 100 e 200 mg por dia (meio a um comprimido)

Nas psicoses agudas e crónicas:

Nos sintomas deficitários das psicoses a posologia deverá variar entre 100 e 200 mg por dia (meio a 1 comprimido).
Nas situações em que predominam as ideias delirantes ou os quadros alucinatórios a posologia deverá variar, segundo o critério clínico, entre 600 e 1200 mg por dia (3 a 6 comprimidos), podendo em certos casos ir até 2000 mg por dia (10 comprimidos).

Em pediatria:
É aconselhável a solução oral, em média 5 mg / Kg / dia, dividida em 3 ou 4 tomas.

Modo e Via de Administração

Administração por via oral.
Ingerir os comprimidos com água.

Indicação do momento mais favorável à administração do medicamento Nos sindromas vertiginosos o medicamento deve ser tomado às refeições.

Duração do tratamento médio
A duração do tratamento é variável consoante o caso clínico, devendo respeitar-se as indicações do médico.

Se tomar mais Dogmatil Forte do que deveria

A experiência com a sulpirida em sobredosagem é limitada. Em caso de sobredosagem podem ocorrer manifestações disquinésicas com torcicolis espasmódico, protusão da língua e trismus. Em alguns doentes podem ocorrer manifestações parkinsónicas que põem a vida em risco e coma.

Sulpirida é parcialmente eliminada por hemodiálise.

Não há antídoto específico para a sulpirida. O tratamento é exclusivamente sintomático. Assim, deverão ser instituídas medidas de suporte apropriadas: recomenda-se vigilância rigorosa das funções vitais e monitorização cardíaca contínua (risco de prolongamento do intervalo QT e arritmias ventriculares subsequentes) até à recuperação do doente.

Se ocorrerem sintomas extrapiramidais graves deverão ser administrados agentes anticolinérgicos.

Caso se tenha esquecido de tomar Dogmatil Forte 200 mg comprimidos

Não tome a dose a dobrar para compensar a que se esqueceu de administrar

Se parar de tomar Dogmatil Forte 200 mg comprimidos

O tratamento com Dogmatil não deve ser interrompido ou terminado prematuramente a não ser por indicação médica. Doutra forma a eficácia do tratamento fica comprometida.

Caso ainda tenha dúvidas sobre a utilização deste medicamento, fale com o seu médico ou farmacêutico

Quais são os possíveis efeitos secundários?

Como todos os medicamentos, Dogmatil pode causar efeitos secundários, no entanto estes não se manifestam em todas as pessoas.

  • Cardiopatias:
  • hipotensão postural
  • Prolongamento do intervalo QT e arritmias ventriculares tais como "torsades depointes", taquicardia ventricular, que pode resultar em fibrilhação ventricular ou paragem cardíaca, morte súbita (ver "Tome especial cuidado com o Dogmatil").
  • Doenças endócrinas:
  • Hiperprolactinémia
  • Perturbações gerais e alterações no local de administração Como para todos os neurolépticos, síndrome maligna (ver "Tome especial cuidado com Dogmatil") que é uma complicação potencialmente fatal.
  • Aumento de peso.

Afecções hepatobiliares:
Aumento de enzimas hepáticos.

Doenças do sistema nervoso:
-sedação ou sonolência;
-sintomas extrapiramidais e alterações relacionadas:
parkinsonismo e sintomas relacionados: tremor, hipertonia, hipoquinesia, hipersalivação,
disquinésia aguda e distonia (torcícolo espasmódico, crises oculogiras, trismus), acatasia.

Estes sintomas são geralmente reversíveis com a administração de medicamentos antiparkinsónicos.

Como para todos os neurolépticos, reportou-se disquinésia tardia (caracterizada por movimentos involuntários rítmicos, principalmente da língua e/ou da face) após tratamento com fármacos neurolépticos superior a três meses. A medicação antiparkinsónica não é eficaz e pode induzir agravamento dos sintomas.

Foram reportadas convulsões (ver Tome especial cuidado com Dogmatil")

Doenças dos orgãos genitais e da mama:

  • Alterações relacionadas com hiperprolactinémia:
  • galactorreia
  • amenorreia
  • ginecomastia
  • mastodinia
  • aumento de volume e dor mamária.
  • disfunção orgástica e disfunção eréctil.
  • Afecções dos tecidos cutâneos e subcutâneos:
  • rash máculo-papular

Coágulos nas veias, especialmente nas pernas (sintomas incluem inchaço, dor e vermelhidão na perna), que se podem deslocar pelos vasos sanguíneos até aos pulmões e causar dor no peito e dificuldade em respirar. Se detectar algum destes sintomas, procure aconselhamento médico de imediato.

Em idosos com demência, foi notado um pequeno aumento no número de mortes notificadas para doentes a tomar antipsicóticos, quando comparado com os que não faziam este tipo de tratamento.

Como deve ser guardado?

Não conservar acima de 25°C.
Conservar na embalagem de origem.

Manter fora do alcance e da vista das crianças.

Não utilize Dogmatil após o prazo de validade impresso na embalagem exterior, após ?VAL.?. O prazo de validade corresponde ao último dia do mês indicado.

Os medicamentos não devem ser eliminados na canalização ou no lixo doméstico. Pergunte ao seu farmacêutico como eliminar os medicamentos de que já não necessita. Estas medidas irão ajudar a proteger o ambiente.

Mais informações

Qual a composição de Dogmatil Forte 200 mg comprimidos

  • A substância activa é a Sulpirida. Cada comprimido contém 200 mg de sulpirida.
  • Os outros componentes são Amido de milho; Lactose; PVP K 30; Talco e Estearato de magnésio.

Qual o aspecto de Dogmatil Forte 200 mg comprimidos e conteúdo da embalagem

Comprimidos circulares de cor branca, faces planas, com ranhura de quebra numa das faces.

Embalagens de 20 e 60 comprimidos.

Titular da Autorização de Introdução no Mercado

Sanofi ? Aventis ? Produtos Farmacêuticos, S.A.
Empreendimento Lagoas Park, Edifício 7 - 3º Piso
2740-244 Porto Salvo
Tel: 213 589 400
Fax: 213 589 409
Portugal

Fabricante:

Sofarimex - Indústria Química e Farmacêutica, Lda. Avenida das Indústrias - Alto de Colaride - Agualva 2735-213 Cacém
Portugal
Tel: 214328200
Fax: 2143220109

Este Folheto foi aprovado pela última vez em

Substância(s) Sulpirida
Admissão Portugal
Produtor Sanofi-Aventis - Produtos Farmacêuticos, Lda.
Narcótica Não
Grupo farmacológico Antipsicóticos

Partilhar

O seu assistente pessoal de medicamentos

afgis-Qualitätslogo mit Ablauf Jahr/Monat: Mit einem Klick auf das Logo öffnet sich ein neues Bildschirmfenster mit Informationen über Medikamio GmbH & Co KG und sein/ihr Internet-Angebot: medikamio.com/ This website is certified by Health On the Net Foundation. Click to verify.
Medicamentos

Pesquise aqui a nossa extensa base de dados de medicamentos de A-Z, com efeitos e ingredientes.

Substâncias

Todas as substâncias activas com a sua aplicação, composição química e medicamentos em que estão contidas.

Doenças

Causas, sintomas e opções de tratamento para doenças e lesões comuns.

O conteúdo apresentado não substitui a bula original do medicamento, especialmente no que diz respeito à dosagem e efeito dos produtos individuais. Não podemos assumir qualquer responsabilidade pela exactidão dos dados, uma vez que os dados foram parcialmente convertidos automaticamente. Um médico deve ser sempre consultado para diagnósticos e outras questões de saúde. Mais informações sobre este tópico podem ser encontradas aqui.