Piperacilina + Tazobactam Normon

Código ATC
J01CR05
Piperacilina + Tazobactam Normon

LABORATORIOS NORMON, S.A.

Narcótica
Não
Grupo farmacológico Antibacterianos beta-lactâmicos, penicilinas

Anúncio

Tudo para saber

Titular da autorização

LABORATORIOS NORMON, S.A.

O que é e como se utiliza?

UTILIZADO

Piperacilina + Tazobactam Normon está incluído no grupo farmacoterapêutico dos antibióticos.
Piperacilina + Tazobactam Normon é um medicamento contendo uma associação de duas substâncias activas, a piperacilina e o tazobactam.

Piperacilina + Tazobactam Normon está indicado nos adultos e jovens com mais de 12 anos no tratamento das seguintes infecções bacterianas locais e/ou sistémicas onde foram detectados ou se suspeita da presença de microrganismos susceptíveis:

  • Infecções das vias respiratórias inferiores
  • Infecções (complicadas ou não) das vias urinárias
  • Infecções intra-abdominais
  • Infecções da pele e tecidos moles
  • Septicemia bacteriana
  • Infecções ginecológicas, incluindo endometrite pós-parto e doença inflamatória pélvica
  • Infecções bacterianas em doentes neutropénicos: neste tipo de infecções está indicada aassociação de um aminoglicosido ao Piperacilina + Tazobactam Normon
  • Infecções ósseas ou articulares
  • Infecções polimicrobianas: aeróbios gram+ e gram- e anaeróbios.

Apesar do Piperacilina + Tazobactam Normon estar apenas indicado nas condições supra-mencionadas, infecções causadas por microrganismos sensíveis à piperacilina são também passíveis de tratamento com Piperacilina + Tazobactam Normon devido ao seu teor em piperacilina. Deste modo, o tratamento de infecções mistas causadas por microrganismos sensíveis à piperacilina e por microrganismos produtores de -lactamases sensíveis ao Piperacilina + Tazobactam Normon não deverá necessitar da associação de qualquer outro antibiótico. Devem efectuar-se testes de sensibilidade antes do tratamento, de modo a identificar os microrganismos causadores das infecções, bem como a sua sensibilidade ao Piperacilina + Tazobactam Normon. No entanto, devido ao seu largo espectro de actividade contra bactérias aeróbias e anaeróbias Gram-negativas e Gram-positivas, o Piperacilina + Tazobactam Normon é particularmente útil no tratamento de infecções mistas e como terapêutica empírica antes de se conhecerem os resultados dos exames bacteriológicos e dos testes de sensibilidade aos antibióticos.

O Piperacilina + Tazobactam Normon actua sinergisticamente com aminoglicosidos contra certas estirpes de Pseudomonas aeruginosa. A terapêutica de associação revelou-se particularmente eficaz especialmente em doentes imunocomprometidos. Ambos os medicamentos devem ser utilizados nas doses terapêuticas recomendadas. Em doentes neutropénicos devem ser utilizadas as doses recomendadas de Piperacilina + Tazobactam Normon e de aminoglicosido.

Crianças com menos de 12 anos

O Piperacilina + Tazobactam Normon está indicado no tratamento de crianças com idades compreendidas entre os 2 e os 12 anos com infecções intra-abdominais, incluindo a apendicite complicada por ruptura ou abcesso, peritonite e infecções biliares. Esta indicação não foi avaliada em doentes pediátricos com idades inferiores a 2 anos.

Anúncio

O que se deve tomar em consideração antes de utilizá-lo?

Não tome Piperacilina + Tazobactam Normon

  • se tem alergia (hipersensibilidade) às substâncias activas, a qualquer -lactâmico, incluindo penicilinas e cefalosporinas, aos inibidores das -lactamases ou a qualquer outro componente de Piperacilina + Tazobactam.

Tome especial cuidado com Piperacilina + Tazobactam Normon

  • se durante o tratamento surge uma reacção alérgica.
  • se durante ou após o tratamento surge diarreia ou uma colite.
  • se o tratamento é prolongado; neste caso o seu médico deve realizar controlos periódicos ao seu sangue, ao fígado e aos rins.
  • se o tratamento é prolongado podem surgir microorganismos resistentes que podem produzir outras infecções.
  • se se produzirem manifestações hemorrágicas; neste caso o antibiótico deverá ser retirado e instaurar um tratamento apropriado; estas reacções são mais prováveis em doentes com insuficiência renal.
  • se apresenta baixos níveis de potássio no sangue, sobretudo se se encontra em tratamento com diuréticos.
  • se se administrarem por via intravenosa doses superiores às recomendadas, uma vez que podem aparecer convulsões.

Ao tomar Piperacilina + Tazobactam Normon com outros medicamentos Informe o seu médico ou farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica. O Piperacilina + Tazobactam Normon não deverá ser misturado com outros fármacos na mesma seringa ou no mesmo frasco de perfusão cuja compatibilidade ainda não está totalmente esclarecida. No caso em que Piperacilina + Tazobactam Normon seja utilizado concomitantemente com outro antibiótico, em especial com um aminoglicosido, os fármacos devem ser administrados separadamente. Não devem ser misturados em soluções intravenosas ou ser administrados ao mesmo tempo devido à incompatibilidade física.

Devido à sua instabilidade química, o Piperacilina + Tazobactam Normon não deverá ser usado com soluções contendo apenas bicarbonato de sódio. Piperacilina + Tazobactam Normon não é compatível com a solução de lactato de Ringer.

O Piperacilina + Tazobactam Normon não deve ser adicionado a derivados do sangue ou hidrolisados da albumina.

A administração concomitante de probenecide e Piperacilina + Tazobactam Normon provoca um aumento da semi-vida e uma redução da clearance renal da piperacilina e do tazobactam. No entanto as concentrações plasmáticas máximas de ambos os fármacos não foram afectadas. Não se verificou qualquer interacção do Piperacilina + Tazobactam Normon com a vancomicina.

O Piperacilina + Tazobactam Normon não altera significativamente a farmacocinética da tobramicina em indivíduos com função renal normal ou com insuficiência renal ligeira ou moderada. A farmacocinética do Piperacilina + Tazobactam Normon também não sofre alteração significativa pela administração da tobramicina.

A piperacilina quando usada concomitantemente com o vecurónio tem sido relacionada com o prolongamento do bloqueio neuromuscular do vecurónio. Devido à semelhança do seu mecanismo de acção é de esperar que o bloqueio neuromuscular provocado por qualquer relaxante muscular não despolarizante possa ser prolongado na presença da piperacilina.

Durante a administração simultânea de Piperacilina + Tazobactam Normon e heparina, anticoagulantes orais ou outros produtos que possam afectar a coagulação sanguínea e/ou

a função plaquetária, devem efectuar-se testes da coagulação com maior frequência e proceder-se à sua monitorização regular.
A piperacilina pode diminuir a excreção do metotrexato pelo que os níveis séricos do metotrexato devem ser monitorizados por forma a prevenir a sua toxicidade.

Interacções com os Testes Laboratoriais

Como acontece com as outras penicilinas, a administração do Piperacilina + Tazobactam Normon pode originar uma reacção falsa positiva para a glucose na urina usando um método de redução com cobre. Recomenda-se a utilização de testes de glucose baseados em reacções enzimáticas da glucose oxidase.
Foram notificados casos de resultados positivos com a utilização de testes EIA Platelia Aspergillus do Bio-Rad Laboratories, em doentes tratados com Piperacilina + Tazobactam Normon, tendo-se verificado posteriormente que estes doentes não apresentavam infecção por Aspergillus. Foram notificadas reacções cruzadas com polissacáridos e polifuranoses não relacionados com Aspergillus e o teste EIA Platelia Aspergillus do Bio-Rad Laboratories. Deste modo, resultados positivos em doentes tratados com Piperacilina + Tazobactam Normon devem ser interpretados cuidadosamente e confirmados através de outros métodos de diagnóstico.

Gravidez e aleitamento
Consulte o seu médico ou farmacêutico antes de tomar qualquer medicamento. Não existem estudos de Piperacilina + Tazobactam Normon durante a gravidez e lactação. A piperacilina e o tazobactam atravessam a placenta. A piperacilina é excretada em baixas concentrações no leite materno; as concentrações de tazobactam no leite materno não foram estudadas. Deste modo o tratamento de mulheres grávidas ou durante

  • período de amamentação deve ser feito apenas se os benefícios terapêuticos compensarem os riscos para a doente e para o feto.

Condução de veículos e utilização de máquinas
Piperacilina + Tazobactam Normon não afecta a capacidade de condução ou utilização de máquinas.

Informações importantes sobre alguns componentes de Piperacilina + Tazobactam Normon
O Piperacilina + Tazobactam Normon 2000 mg/10 ml + 250 mg/10 ml contém 4,7 mmol (108 mg) de sódio por frasco e o Piperacilina + Tazobactam Normon 4000 mg + 500 mg contém 9,4 mmol (216 mg) de sódio por frasco. Esta informação deve ser tida em consideração em doentes com ingestão controlada de sódio.

Como é utilizado?

Tomar Piperacilina + Tazobactam Normon sempre de acordo com as indicações do médico. Fale com o seu médico ou farmacêutico se tiver dúvidas. A dose habitual é:

Adultos e jovens com mais de 12 anos

A posologia usual para adultos e jovens, com função renal normal, é de 4,5 g de Piperacilina + Tazobactam Normon administrado de 8 em 8 horas.
A dose depende da gravidade e localização da infecção e pode variar entre 2,25 g e 4,5 g de Piperacilina + Tazobactam Normon, administrado cada 6 ou 8 horas.

O Piperacilina + Tazobactam Normon pode ser administrado por perfusão lenta (20-30 minutos), por injecção intravenosa lenta (durante pelo menos 3-5 minutos), ou por injecção intramuscular. No caso da via intramuscular não exceder a dose de 2 g de piperacilina/250 mg de tazobactam por local de injecção.

Idosos

Pode ser usada a mesma posologia de Piperacilina + Tazobactam Normon nos doentes idosos, excepto nos casos de insuficiência renal (ver abaixo).

Crianças dos 2 aos 12 anos de idade

Infecções intra-abdominais em crianças
Em crianças com idades entre os 2 e os 12 anos, com peso até 40 kg e função renal normal, a dose recomendada é de 100 mg de piperacilina/12,5 mg de tazobactam por kg de peso, de 8 em 8 horas.
Em crianças com idades entre os 2 e os 12 anos, com peso superior a 40 kg e função renal normal, deve seguir-se a posologia do adulto, isto é, 4,5 g (4 g de piperacilina/0,5 g de tazobactam) de 8 em 8 horas. Recomenda-se a administração por perfusão (30 minutos).

Doentes com insuficiência renal

Adultos e jovens com mais de 12 anos
Nos doentes com insuficiência renal, ou em hemodiálise, a posologia deve ser ajustada de acordo com o grau da insuficiência. Recomendam-se as seguintes doses diárias:

Posologia para adultos com insuficiência renal Clearance da creatinina Posologia recomendada de piperacilinatazobactam 40 mlmin Não é necessário ajuste posológico 20 - 40 mlmin 12 g 1,5 g dia doses divididas 4 g500 mg de 88 horas 20 mlmin 8 g 1 g dia doses divididas 4 g500 mg de 1212 horas

Nos doentes em hemodiálise, a dose máxima diária é de 8 g/1 g de piperacilina/tazobactam. Além disso como a hemodiálise remove 30% - 50% da piperacilina em 4 horas, deve administrar-se após cada período de hemodiálise uma dose adicional de 2 g/250 mg de piperacilina/tazobactam. Nos doentes com insuficiência renal as determinações dos níveis séricos de piperacilina/tazobactam deverão servir de orientação no ajuste posológico.

Crianças com idades entre 2 e 12 anos.

A farmacocinética da piperacilina/tazobactam não foi estudada em doentes pediátricos

com insuficiência renal. Recomenda-se o seguinte ajuste posológico:

Posologia para crianças dos 2 aos 12 anos com insuficiência renal

Clearance da creatinina Posologia recomendada de piperacilinatazobactam 50 mlmin piperacilina12,5 mg 112,5 mgkg 100 mg tazobactam de 88 horas 50 mlmin piperacilina8,75 mg 78,75 mgkg 70 mg tazobactam de 88 horas

Esta alteração do esquema posológico é apenas uma aproximação. Cada doente deve ser

monitorizado cuidadosamente quanto a sinais de toxicidade do fármaco. Nesses casos a

dose e o intervalo posológico deverão ser ajustados.

Se tomar mais Piperacilina + Tazobactam do que deveria
Foram notificados casos de sobredosagem com a associação piperacilina/tazobactam. Na maioria dos casos os sintomas incluíram náuseas, vómitos e diarreia, os quais foram igualmente notificados com as doses habitualmente recomendadas. Tal como acontece com as outras penicilinas, no caso de serem administradas doses superiores às recomendadas por via intravenosa, poderá ocorrer um aumento da excitabilidade neuromuscular ou mesmo convulsões (particularmente nos insuficientes renais). O tratamento deve ser de suporte e sintomático, de acordo com o estado clínico do doente. As concentrações séricas excessivas de piperacilina e tazobactam podem ser reduzidas por hemodiálise.

Caso se tenha esquecido de tomar Piperacilina + Tazobactam Normon
Não tome uma dose a dobrar para compensar uma dose que se esqueceu de tomar.

Se parar de tomar Piperacilina + Tazobactam Normon
A duração do tratamento depende da gravidade da infecção e da evolução clínica e bacteriológica do doente. Recomenda-se que o tratamento tenha a duração mínima de 5 dias e máxima de 14, considerando que a administração de Piperacilina + Tazobactam Normon deve ser mantida pelo menos 48 horas após a resolução dos sinais e dos sintomas clínicos.

Caso ainda tenha dúvidas sobre a utilização deste medicamento, fale com o seu médico ou farmacêutico.

Quais são os possíveis efeitos secundários?

Como todos os medicamentos, Piperaclina + Tazobactam Normon pode causar efeitos secundários, no entanto estes não se manifestam em todas as pessoas

A lista das reacções adversas seguinte está organizada por sistema corporal e de acordo com a frequência como Muito frequentes Frequentes Pouco frequentes Raras Muito raras 110 1100, 110 11.000, 1100 110.000, 11.000 110.000

Infecções e infestações

Pouco frequentes: Candidíase (sobre-infecção)

Doenças do sangue e do sistema linfático

Pouco frequentes: Leucopenia, neutropenia, trombocitopenia
Raras: Anemia, manifestações hemorrágicas (incluindo púrpura, epistaxis, tempo de hemorragia aumentado), eosinofilia, anemia hemolítica
Muito raras: Agranulocitose, teste de Coombs directo positivo, pancitopenia, tempo de tromboplastina parcial aumentado, tempo de protrombina aumentado, trombocitose

Doenças do sistema imunitário

Pouco frequentes: Reacção de hipersensibilidade
Raras: Reacção anafiláctica/anafilactóide (incluindo choque)

Doenças do metabolismo e da nutrição

Frequentes: Hipoalbuminemia, hipoglicemia, hipoproteinemia total, hipocaliemia

Doenças do sistema nervoso

Pouco frequentes: Cefaleias, insónia

Vasculopatias

Pouco frequentes: Hipotensão, flebite, tromboflebite
Raras: Rubor

Doenças gastrointestinais

Frequentes: Diarreia, náuseas, vómitos
Pouco frequentes: Obstipação, dispepsia, icterícia, estomatite
Raras: Dor abdominal, colite pseudomembranosa

Afecções hepatobiliares

Pouco frequentes: SGOT aumentada, SGPT aumentada
Raras: Bilirrubina aumentada, fosfatase alcalina no sangue aumentada, -GT aumentada, hepatite

Afecções dos tecidos cutâneos e subcutâneos

Frequentes: Erupção cutânea
Pouco frequentes: Prurido, urticária
Raras: Dermatite bolhosa, eritema multiforme
Muito raras: Síndrome de Stevens-Johnson, necrólise epidérmica tóxica

Afecções musculoesqueléticas e dos tecidos conjuntivos

Raras: Artralgia

Doenças renais e urinárias

Pouco frequentes: Creatininemia aumentada
Raras: Nefrite intersticial, falência renal
Muito raras: Uremia aumentada

Perturbações gerais e alterações no local de administração

Pouco frequentes: Febre, reacção no local de injecção
Muito raras: Arrepios
Em doentes com fibrose quística a terapêutica com piperacilina tem sido relacionada com um aumento de incidência de febre e erupção cutânea.

Têm sido referidas reacções de hipersensibilidade (reacções anafilácticas/anafilactóides, incluindo choque) graves e ocasionalmente fatais em doentes tratados com penicilinas. Estas reacções são mais susceptíveis de ocorrer em indivíduos com história de sensibilidade a alergenos múltiplos. Têm também sido referidos casos de doentes com história de hipersensibilidade às penicilinas e que também apresentaram reacções graves de hipersensibilidade às cefalosporinas. Antes de se iniciar a terapêutica com o Piperacilina + Tazobactam Normon deve inquirir-se sobre reacções prévias às penicilinas, cefalosporinas e outros alergenos. Caso ocorra uma reacção alérgica durante a terapêutica com Piperacilina + Tazobactam Normon, o tratamento deve ser interrompido.

Reacções graves de hipersensibilidade podem requerer a administração de adrenalina ou a aplicação de outras medidas de urgência. No caso de diarreia grave e persistente deve considerar-se a possibilidade do aparecimento de uma colite pseudomembranosa induzida pelo antibiótico e que pode pôr em risco a vida do doente. Nestes casos a administração de Piperacilina + Tazobactam Normon deve ser imediatamente interrompida e deve instituir-se uma terapêutica apropriada. Os sintomas de colite pseudomembranosa podem desencadear-se durante ou após o tratamento.

Devido à possibilidade de ocorrência de leucopenia e neutropenia, principalmente durante uma terapêutica prolongada, devem realizar-se periodicamente hemograma e avaliação da função renal e hepática.

Alguns doentes tratados com antibióticos -lactâmicos apresentaram manifestações hemorrágicas. Estas reacções estão por vezes associadas a alterações dos testes de coagulação, tais como tempo de protrombina, tempo de tromboplastina parcial e

agregação plaquetária, e ocorrem com maior frequência em doentes com insuficiência renal. Caso se verifiquem hemorragias, deve interromper-se a terapêutica e instituir-se tratamento adequado.

Não deve ser posta de parte a possibilidade do aparecimento de microrganismos resistentes causadores de superinfecções, especialmente durante o tratamento prolongado. Caso tal se verifique devem instituir-se as medidas adequadas.

Se algum dos efeitos adversos se agravar ou se detectar quaisquer efeitos secundários não mencionados neste folheto, informe o seu médico ou farmacêutico.

Como deve ser guardado?

Manter fora do alcance e da vista das crianças.
Conservar a temperatura inferior a 30ºC

Não utilize Piperacilina + Tazobactam Normon após o prazo de validade impresso na embalagem exterior após ?Val.?. O prazo de validade corresponde ao último dia do mês indicado.

Após a reconstituição, a solução de Piperacilina + Tazobactam Normon deve ser utilizada no prazo de 24 horas caso seja conservada à temperatura ambiente, ou no prazo de 48 horas caso seja conservada entre 2º a 8ºC (no frigorífico) ou 3 meses caso seja conservada congelada (-20ºC). De um ponto de vista microbiológico, o medicamento deverá ser utilizado imediatamente após a diluição. Se não for utilizado imediatamente, os tempos e as condições de conservação são responsabilidade do utilizador. As soluções não utilizadas devem ser rejeitadas.

Mais informações

Qual a composição de Piperacilina + Tazobactam Normon
Piperacilina + Tazobactam Normon 2000 mg/10 ml + 250 mg/10 ml
Cada frasco contém 2085 mg de piperacilina sódica equivalente a 2000 mg de piperacilina e 268,3 mg de tazobactam sódico equivalente a 250 mg de tazobactam.

Piperacilina + Tazobactam Normon 4000 mg + 500 mg
Cada frasco contém 4170 mg de piperacilina sódica equivalente a 4000 mg de piperacilina e 536,6 mg tazobactam sódico equivalente a 500 mg de tazobactam.

Cada frasco de Piperacilina + Tazobactam Normon 2000 mg/10 ml + 250 mg/10 ml contém 108 mg de sódio.
Cada frasco de Piperacilina + Tazobactam Normon 4000 mg + 500 mg contém 216 mg de sódio.

Qual o aspecto de Piperacilina + Tazobactam Normon e conteúdo da embalagem Piperacilina + Tazobactam Normon 2000 mg/10 ml + 250 mg/10 ml Pó e solvente para solução injectável para administração intramuscular e intravenosa apresenta-se em embalagens contendo 1 frasco de vidro ou 50 frascos de vidro contendo um pó branco a beje, fechados com tampa de borracha e selados por uma cápsula de alumínio e 1 ampola de vidro ou 50 ampolas vidro de 10 ml com água para preparações injectáveis.

Piperacilina + Tazobactam Normon 4000 mg + 500 mg Pó para solução injectável apenas para administração intravenosa apresenta-se em embalagens contendo 1 frasco de vidro ou 50 frascos de vidro contendo um pó branco a beje, fechados com tampa de borracha e selados por uma cápsula de alumínio.

É possível que não sejam comercializadas todas as apresentações.

Titular da Autorização de Introdução no Mercado e Fabricante

, Portugal

Fabricante

Laboratorios Normon, S.A.
Ronda de Valdecarrizo, 6
ES-28760 Tres Cantos ? Madrid
Espanha

Este folheto foi aprovado pela última vez em

A informação que se segue destina-se apenas aos médicos e aos profissionais de saúde:

Reconstituição e Diluição Administração intravenosa Reconstituir cada frasco com o volume de solvente compatível para a reconstituição de acordo com a tabela seguinte. Agitar até completa dissolução. Após agitação constante, a reconstituição deverá ocorrer no prazo de 10 minutos. Frasco de Piperacilina Tazobactam Normon Volume de solvente a adicionar a cada frasco 2,25 g 10 ml 4,5 g 20 ml

Solventes compatíveis para reconstituição

- Água para preparações injectáveis

  • Cloreto de sódio 0,9% para injectáveis

- Água bacteriostática para preparações injectáveis

A injecção intravenosa deve ser administrada durante 3 a 5 minutos.

Antes da administração da solução reconstituída, deve verificar-se que a solução não apresenta partículas em suspensão.

Administração por perfusão:
As soluções após reconstituição devem ser retiradas do frasco por meio de uma seringa. Quando reconstituídas de acordo com as instruções propostas, o volume retirado do frasco deve conter a quantidade de piperacilina/tazobactam mencionada no rótulo. As soluções reconstituídas podem ser posteriormente diluídas até ao volume desejado (isto é 50 ml até 150 ml) com um dos seguintes solventes compatíveis:
-Cloreto de sódio 0,9% para injectáveis
-Água para preparações injectáveis (1)
-Dextrose 5%
-Dextrose 5% em cloreto de sódio 0,9%
(1)O volume máximo de água para injectáveis é de 50 ml por dose.

A perfusão deverá ser administrada durante 20 a 30 minutos.

A administração intramuscular
Piperacilina + Tazobactam Normon 2000 mg + 250 mg deve ser reconstituído com 4 ml de uma solução de cloridrato de lidocaína a 0,5% (sem adrenalina) ou com água para preparações injectáveis. Não exceder a dose de 2000 mg + 250 mg de piperacilina + tazobactam por local de injecção.

Incompatibilidades Farmacêuticas
O Piperacilina + Tazobactam Normon não deve ser misturado com outros fármacos no mesmo frasco de perfusão ou na mesma seringa, dado que a sua compatibilidade não está totalmente esclarecida. Contudo o Piperacilina + Tazobactam Normon pode ser usado concomitantemente com outros antibióticos, desde que a sua administração seja feita separadamente. A mistura de antibióticos -lactâmicos com um aminoglicosido, in vitro, pode provocar uma inactivação substancial do aminoglicosido.

Devido à sua instabilidade química o Piperacilina + Tazobactam Normon não deve ser usado com soluções contendo apenas bicarbonato de sódio. Piperacilina + Tazobactam Normon não é compatível com a solução de lactato de Ringer. O Piperacilina + Tazobactam Normon não deve ser adicionado a produtos contendo sangue ou hidrolisados de albumina.

O seu assistente pessoal de medicamentos

Medicamentos

Pesquise aqui a nossa extensa base de dados de medicamentos de A-Z, com efeitos e ingredientes.

Substâncias

Todas as substâncias activas com a sua aplicação, composição química e medicamentos em que estão contidas.

Doenças

Causas, sintomas e opções de tratamento para doenças e lesões comuns.

O conteúdo apresentado não substitui a bula original do medicamento, especialmente no que diz respeito à dosagem e efeito dos produtos individuais. Não podemos assumir qualquer responsabilidade pela exactidão dos dados, uma vez que os dados foram parcialmente convertidos automaticamente. Um médico deve ser sempre consultado para diagnósticos e outras questões de saúde. Mais informações sobre este tópico podem ser encontradas aqui.

This website is certified by Health On the Net Foundation. Click to verify.