Lendormin

Código ATC
N05CD09
Lendormin

Unilfarma - União Internacional Laboratórios Farmacêuticos, Lda.

Substância
Narcótica Psicotrópica
Não Não
Grupo farmacológico Hipnóticos e sedativos

Anúncio

Tudo para saber

Autor

Unilfarma - União Internacional Laboratórios Farmacêuticos, Lda.

O que é e como se utiliza?

Lendormin é um indutor do sono, que actua ao nível do sistema nervoso central. Reduz o período de indução do sono e a frequência dos despertares nocturnos, prolongando a duração do sono.Nas doses recomendadas, a estrutura do sono permanece inalterada.

Lendormin está indicado na insónia requerendo intervenção farmacológica. Lendormin pertence a um grupo de fármacos denominados benzodiazepinas. As benzodiazepinas só estão indicadas quando a doença é grave, incapacitante ou quando o doente está sujeito a angústia extrema.

Anúncio

O que se deve tomar em consideração antes de utilizá-lo?

Não tome Lendormin

  • Se tem miastenia gravis, insuficiência respiratória grave, síndrome de apneia do sono ouinsuficiência hepática grave. Se tem alergia (hipersensibilidade) conhecida à substância activa brotizolam, a qualquer outro componente. Se tem hipersensibilidade conhecida a outras benzodiazepinas.
  • Se tem menos de 18 anos de idade.

Tome especial cuidado com Lendormin

  • Se tem função hepática diminuída, insuficiência respiratória crónica com hipercapnia, ou se tem mais de 65 anos, o seu médico pode considerar uma redução da dose do medicamento.
  • Se tem doença psicótica, depressão ou ansiedade associada à depressão, não deve utilizar Lendormin isoladamente para o tratamento destas situações. Nestes casos, o seu médico pode considerar a associação com outros medicamentos.

Tenha em atenção que o uso continuado de Lendormin, pode levar à diminuição do efeito hipnótico. Pode também provocar dependência física e psíquica. Este risco aumenta com a dose e a duração do tratamento, sendo também mais elevado em doentes com tendência para desenvolverem dependência ao álcool ou a drogas.
Em caso de dependência, a interrupção abrupta do tratamento pode ser acompanhada de sintomas de abstinência, que podem variar entre perturbações ligeiras, como cefaleias ou dores musculares, e graves sintomas psiquiátricos como ansiedade extrema, tensão, inquietação, confusão e irritabilidade. Em casos muito graves, podem mesmo ocorrer outros sintomas como fuga à realidade, despersonalização, entorpecimento e sensação de formigueiro nas extremidades, hipersensibilidade à luz, ao ruído ou ao contacto físico, alucinações ou ataques epilépticos (convulsões).
Dado que o risco de aparecimento de sintomas de abstinência é maior após a interrupção abrupta do tratamento, a toma de Lendormin deve ser descontinuada gradualmente com progressiva redução da dose.

Ao tomar Lendormin com outros medicamentos
Informe o seu médico ou farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica. Quando o Lendormin é tomado concomitantemente com outros medicamentos sedativos de acção central, como anti-psicóticos, hipnóticos, ansiolíticos, sedativos, anti-depressivos, analgésicos narcóticos, anti-epilépticos, anestésicos e sedativos anti-histamínicos, pode ocorrer potenciação dos efeitos ao nível do sistema nervoso central. Lendormin pode também interagir com medicamentos inibidores do citocromo 3A4, como por exemplo o cetoconazol.

Ao tomar Lendormin com alimentos e bebidas
Não deve tomar álcool enquanto estiver a fazer tratamento com Lendormin, uma vez que

  • efeito sedativo pode ser aumentado.

Gravidez e aleitamento
Consulte o seu médico ou farmacêutico antes de tomar qualquer medicamento. Não existem dados suficientes para avaliar a segurança do Lendormin durante a gravidez e o aleitamento. Consequentemente, este medicamento não é aconselhado durante a gravidez e aleitamento.
Se estiver a tomar Lendormin e pretender engravidar ou desconfiar que possa estar grávida, contacte o seu médico para descontinuar o tratamento.

Como as benzodiazepinas são excretadas no leite materno, Lendormin não deve ser tomado por mães a amamentar.

Condução de veículos e utilização de máquinas
A toma de Lendormin pode diminuir a capacidade de concentração e a função muscular, podendo afectar negativamente a capacidade de conduzir ou utilizar máquinas. O consumo concomitante de álcool ou de anti-depressivos centrais pode acentuar ainda mais este efeito.

Informações importantes sobre alguns componentes de Lendormin
Este medicamento contém lactose. Se foi informado pelo seu médico que tem intolerância a alguns açúcares, contacte-o antes de tomar este medicamento.

Como é utilizado?

Tomar Lendormin sempre de acordo com as indicações do médico. Fale com o seu médico ou farmacêutico se tiver dúvidas.

Salvo indicação médica em contrário a posologia média é:

  • Adultos: 1 comprimido
  • Idosos: ½ a 1 comprimido

Lendormin deve ser tomado com um pouco de líquido antes de deitar. Pode também, colocar o comprimido sob a língua e deixar dissolver.
Lendormin deve ser tomado com o estômago vazio.
Após a toma de Lendormin deve dispor de um período de repouso/sono entre 7-8 horas.

O tratamento deve ser iniciado com a menor dose recomendada. Não deve exceder a dose máxima de 1 comprimido/ dia.

O tratamento deve ser o mais curto possível, não excedendo as 2 semanas de duração. No entanto, em alguns casos, o seu médico poderá considerar necessário prolongar o tratamento para além do período máximo.
O seu médico deverá indicar-lhe como reduzir gradualmente a dose até à descontinuação total do tratamento.

Se tomar mais Lendormin do que deveria
Tal como acontece com outras benzodizepinas, a sobredosagem com Lendormin não deverá constituir ameaça para a vida, excepto se tiverem sido tomadas
concomitantemente outras substâncias depressoras do sistema nervoso central (incluindo álcool). No entanto, caso tenha tomado mais Lendormin do que deveria contacte imediatamente um médico.

Em caso de sobredosagem com Lendormin, o tratamento passa por induzir o vómito (dentro de 1 hora), se o doente estiver consciente, ou por fazer uma lavagem gástrica, se o doente estiver inconsciente. No entanto, se o seu médico entender que não há vantagem em esvaziar o estômago, pode alternativamente administrar-lhe carvão activado para reduzir a absorção do Lendormin.

A sobredosagem com Lendormin manifesta-se geralmente por depressão do sistema nervoso central de grau variado, podendo ir da sonolência ao coma. Em situações ligeiras os sintomas incluem sonolência, confusão mental e letargia, em casos mais graves podem incluir ataxia, hipotonia, hipotensão, depressão respiratória, raramente coma e muito raramente morte.
Em caso de sobredosagem o seu médico poderá decidir utilizar o medicamento Flumazenil como antídoto.

Caso se tenha esquecido de tomar Lendormin
Não tome uma dose a dobrar para compensar um comprimido que se esqueceu de tomar.

Se parar de tomar Lendormin
A toma de Lendormin deve ser descontinuada gradualmente com progressiva redução da dose, de modo a evitar o aparecimento de sintomas de abstinência (ver secção 2, ?Tome especial cuidado com Lendormin?).

Caso ainda tenha dúvidas sobre a utilização deste medicamento, fale com o seu médico ou farmacêutico.

Quais são os possíveis efeitos secundários?

Como todos os medicamentos, Lendormin pode causar efeitos secundários, no entanto estes não se manifestam em todas as pessoas.

Os efeitos secundários possíveis associados ao Lendormin são apresentados em seguida, agrupados de acordo com a frequência em:

  • Frequente: ocorreram em menos de 1 em 10 doentes, mas em mais de 1 em 100 doentes.
  • Pouco frequente: ocorreram em menos de 1 em 100 doentes, mas em mais de 1 em 1000doentes.
  • Raro: ocorreram em menos de 1 em 1000 doentes, mas em mais de 1 em 10000 doentes.

Frequente:
Sonolência durante o dia, cefaleias e perturbações gastrointestinais.

Pouco frequente:
Agravamento de depressão pré-existente, pesadelos nocturnos intensos e tonturas.

Raro:
Emotividade alterada, agitação, irritabilidade, libido alterada, confusão, capacidade de alerta reduzida, falta de coordenação dos movimentos (ataxia), perda de memória relativa a eventos recentes (amnésia anterógrada), perturbações visuais (visão dupla), disfunção hepática incluindo alterações nos testes da função hepática, coloração amarelada da pele e mucosas (icterícia), reacções cutâneas, fraqueza muscular, fadiga, sintomas de abstinência e reacções paroxísticas (especialmente em idosos) como agitação, irritabilidade, agressividade, ilusões, ataques de raiva, pesadelos nocturnos, psicoses, comportamento inadequado e outros efeitos adversos comportamentais.

Os efeitos sonolência durante o dia, emotividade alterada, capacidade de alerta reduzida, confusão, fadiga, cefaleias, tonturas, fraqueza muscular, falta de coordenação dos movimentos, ou visão dupla, ocorrem predominantemente no início da terapêutica e desaparecem geralmente com a continuação do tratamento.

Caso ocorram pesadelos nocturnos intensos, agitação ou irritabilidade, o Lendormin deve ser descontinuado.

Se algum dos efeitos se agravar ou se detectar quaisquer efeitos secundários não mencionados neste folheto, informe o seu médico ou farmacêutico.

Como deve ser guardado?

Manter fora do alcance e da vista das crianças.

Não utilize Lendormin após o prazo de validade impresso na embalagem exterior ou no blister. O prazo de validade corresponde ao último dia do mês indicado.

Não conservar acima de 25ºC.

Os medicamentos não devem ser eliminados na canalização ou no lixo doméstico. Pergunte ao seu farmacêutico como eliminar os medicamentos de que já não necessita. Estas medidas irão ajudar a proteger o ambiente.

Mais informações

Qual a composição de Lendormin

A substância activa é o brotizolam. Cada comprimido contém 0,25 mg de brotizolam. Os outros componentes são lactose mono-hidratada, amido de milho, amido glicolato de sódio, celulose microcristalina e estearato de magnésio.

Qual o aspecto de Lendormin e conteúdo da embalagem

Cada embalagem contém 14 comprimidos.
Comprimidos brancos, redondos, ligeiramente biconvexos, com arestas alisadas e gravados com o código ?13A? numa face e o logo da companhia na outra face.

Titular da Autorização de Introdução no Mercado e Fabricante

Titular da Autorização de Introdução no Mercado

Unilfarma - União Internacional Laboratórios Farmacêuticos, Lda.
Av. de Pádua, 11
1800-294 Lisboa
Portugal

Fabricante

Delpharm Reims (Fab. Reims)
10 rue Colonel Charbonneaux
51100 Reims
França

Este folheto foi aprovado pela última vez em

O seu assistente pessoal de medicamentos

Medicamentos

Pesquise aqui a nossa extensa base de dados de medicamentos de A-Z, com efeitos e ingredientes.

Substâncias

Todas as substâncias activas com a sua aplicação, composição química e medicamentos em que estão contidas.

Doenças

Causas, sintomas e opções de tratamento para doenças e lesões comuns.

O conteúdo apresentado não substitui a bula original do medicamento, especialmente no que diz respeito à dosagem e efeito dos produtos individuais. Não podemos assumir qualquer responsabilidade pela exactidão dos dados, uma vez que os dados foram parcialmente convertidos automaticamente. Um médico deve ser sempre consultado para diagnósticos e outras questões de saúde. Mais informações sobre este tópico podem ser encontradas aqui.

This website is certified by Health On the Net Foundation. Click to verify.