Autor: Merck, S.A.


Informação longa

O que é e como se utiliza?

O medicamento Toloxim está indicado no tratamento das infestações por parasitas intestinais, nomeadamente:

  • Necator americanus (ancilostomíase)
  • Ancylostoma duodenale (ancilostomíase)
  • Ascaris lumbricoides (ascaridíase)
  • Enterobius vermiculares (enterobíase ou oxiuríase )
  • Trichuris trichiura (tricocefalíase)
  • Angiostrogylus cantonensis (angioestrongilose)
  • Strongyloides stercoralis (estrongiloidíase)
  • Trichinella spiralis (triquinose)
  • Taenia spp. (teníase)

Este medicamento pertence ao grupo 1.4.1 Anti-helmínticos, da classificação farmacoterapêutica.

Índice
O que se deve tomar em consideração antes de utilizá-lo?
Como é utilizado?
Quais são os possíveis efeitos secundários?
Como deve ser guardado?

O que se deve tomar em consideração antes de utilizá-lo?

Não tome Toloxim:

  • se tem hipersensibilidade(alergia) ao mebendazol ou a outros derivados benzimidazois ou a qualquer

outro ingrediente de Toloxim.

  • se está grávida ou suspeita poder estar.
  • se está a amamentar.

Tome especial cuidado com Toloxim:

  • se tem antecedentes de epilepsia.
  • este medicamento não é recomendado para crianças com menos de 2 anos de idade.
  • deverá ser confirmada a ausência de gravidez.

Tomar Toloxim com alimentos e bebidas:

A presença de alimentos no tracto digestivo não influencia a acção do medicamento, pelo que não é necessário qualquer tipo de dieta.

Gravidez

Consulte o seu médico ou farmacêutico antes de tomar qualquer medicamento.
Não se recomenda a utilização de Toloxim durante a gravidez.

Aleitamento

Consulte o seu médico ou farmacêutico antes de tomar qualquer medicamento.
Não se recomenda a utilização de Toloxim durante o aleitamento.

Condução de veículos e utilização de máquinas

Os efeitos de Toloxim sobre a capacidade de conduzir e utilizar máquinas são nulos ou desprezíveis.

Informações importante sobre alguns ingredientes de Toloxim

Devido à presença de lactose, contacte o seu médico se lhe foi dito que tem intolerância a alguns açúcares.
Tomar Toloxim com outros medicamentos:
Informe o seu médico ou farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos sem receita médica.

É necessário especial cuidado com:
Anticonvulsivantes (medicamentos utilizados para tratamento da epilepsia):tanto a carbamazepina como a fenitoína podem diminuir as concentrações do mebendazol no sangue.
No entanto, esta interacção não é clinicamente muito importante em doentes que estejam a fazer mebendazol para o controlo de infecções dos parasitas intestinais.

Cimetidina (medicamento utilizado para tratamento de alguns problemas de estômago):a administração simultânea de mebendazol e de cimetidina pode aumentar as concentrações de mebendazol no sangue, particularmente durante tratamentos prolongados.Neste último caso, pode ser necessário ajustar a posologia.

Como é utilizado?

Tomar Toloxim sempre se acordo com as instruções do médico. Fale com o seu médico ou farmacêutico se tiver dúvidas.

A dose recomendada varia de acordo com o tipo de parasita que o infestou, pelo que será o seu médico a decidir a quantidade que deve tomar.

Tratamento de enterobíase

Um comprimido numa dose única para crianças como para adultos. Dadas as grandes possibilidades de reinfestação recomenda-se repetir após 2 a 4 semanas.

Tratamento da ascaridíase, ancilostomíase, tricocefalíase e infestações mistas

A dose habitual de mebendazol nestes casos, é de um comprimido de manhã e à noite, administrado durante 3 dias consecutivos, tanto para crianças como para adultos.
Caso se observem recidivas o tratamento deverá ser repetido após 3 - 4 semanas.

Tratamento da teníase e estrongiloidíase

Adultos:
Embora se tenham obtido resultados favoráveis com a posologia anterior, sugere-se uma dose de 2 comprimidos de manhã e á noite, durante 3 dias de modo a aumentar a percentagem de cura. Repetir o tratamento passadas 2 a 4 semanas.Crianças:
Um comprimido de manhã e á noite, durante 3 dias. Repetir o tratamento passadas 2 a 4 semanas.

Se tomar mais Toloxim do que deveria:

Não são conhecidos casos de sobredosagem, quando este medicamento é administrado nas doses terapêuticas recomendadas.
Se eventualmente esta situação ocorrer, deve recorrer-se à utilização de laxantes para evacuação do conteúdo intestinal, procedendo-se em simultâneo ao tratamento da sintomatologia geral.

Caso se tenha esquecido de tomar Toloxim:

Não tome uma dose a dobrar para compensar a dose que se esqueceu de tomar.

Quais são os possíveis efeitos secundários?

Como os demais medicamentos, Toloxim pode ter efeitos secundários.

O mebendazol é geralmente bem tolerado, no entanto, os doentes muito infestados, quando tratados, podem manifestar diarreia, vómitos e/ou dores abdominais.
Outros efeitos secundários referidos foram sonolência, comichão, dores de cabeça e vertigem.

Pode também ocorrer aumento das enzimas hepáticas (SGOT, SGPT, fosfatase alcalina) e alterações da função renal.

Foram também referidas alterações no sangue como eosinofilia (aumento de eosinófilos), diminuição da hemoglobina e leucopénia (diminuição dos glóbulos brancos).

Ocorreram casos raros de crises convulsivas associadas à administração de mebendazol, em particular em doentes com antecedentes pessoais de epilepsia.

Caso detecte efeitos secundários não mencionados neste folheto, informe o seu médico ou farmacêutico.

Como deve ser guardado?

Manter fora do alcance e da vista das crianças.

Não conservar acima de 25 °C.

Não utilize Toloxim após expirar o prazo de validade indicado na embalagem.

Data de revisão: Março 2005

Cookies help us deliver our services. By using our services, you agree to our use of cookies. OK