O que é e como se utiliza?

O tiocolquicosido é um derivado sulfurado semi-sintético do colquicosido, com actividade farmacológica miorrelaxante.

Relmus está indicado no tratamento das seguintes situações:

Espondilartrose dolorosa (artrose vertebral).
Síndromas radiculares: cervicobraquialgia, lombociatalgia, cruralgia.
Contractura dolorosa pós ? fractura, entorse ou luxação.
Parkinsonismo dos neurolépticos.

Índice
O que se deve tomar em consideração antes de utilizá-lo?
Como é utilizado?
Quais são os possíveis efeitos secundários?
Como deve ser guardado?
Mais informações

O que se deve tomar em consideração antes de utilizá-lo?

Não tome Relmus se:

  • Tiver hipersensibilidade ao tiocolquicosido ou a qualquer dos excipientes da forma
  • Estiver grávida ou a amamentar (ver gravidez e aleitamento)

Tome especial cuidado com Relmus

  • em doentes com epilepsia ou com tendência para convulsões ter em atenção que Tiocolquicosido pode provocar convulsões
  • se estiver com diarreia deve reduzir a dosagem deste medicamento

Tomar Relmus com outros medicamentos:
Não são conhecidas interacções medicamentosas com toma de Relmus mas deve informar o seu médico ou farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica.

Tomar Relmus com bebidas ou alimentos:
Se surgirem sintomas de intolerância gástrica, a ingestão deverá ser feita após as refeições ou anti-ácidos.

Gravidez e aleitamento

Gravidez:
Os estudos em animais revelaram toxicidade reprodutiva
Em clínica não existem actualmente dados suficientes para avaliar a segurança da sua administração durante a gravidez. Assim os efeitos malformativo ou tóxico no feto são desconhecidos. Em consequência o tiocolquicosido é contra-indicado na gravidez.

Aleitamento:
Uma vez que o tiocolquicosido está presente no leite materno a sua administração é contra-indicada a sua administração durante o aleitamento.
Consulte o seu médico ou farmacêutico antes de tomar qualquer medicamento

Condução de veículos e utilização de máquinas
Não há dados disponíveis sobre o efeito na condução de veículos e utilização de máquinas. Estudos clínicos concluíram que o tiocolquicosido não tem efeito na função psicomotora. Contudo foram referidos alguns casos de sonolência, o que tem de ser tomado em consideração quando da condução de veículos e manejo de máquinas.

Informações importantes sobre alguns componentes de Relmus
Contém aspartamo, uma fonte de fenilalalnina, pode ser prejudicial em indivíduos com fenilcetonúria.

Como é utilizado?

Tomar Relmus sempre de acordo com as indicações do médico. Fale com o seu médico ou farmacêutico se tiver dúvidas.
A dose habitual é:
Um comprimido orodispersível de 8 mg para ser derretido na boca com ou sem água, duas vezes ao dia após cada refeição (por ex. 1 comprimido orodispersível ao almoço e 1 comprimido orodispersível ao jantar) ou de acordo com a prescrição médica.

Doentes pediátricos: Não é recomendada a administração de tiocolquicosido a crianças de idade inferior a 15 anos

Se tomar mais Relmus do que deveria:
Não foram relatados casos de sobredosagem.
No caso de ocorrer sobredosagem, recomendam-se medidas sintomáticas e vigilância médica.

Caso se tenha esquecido de tomar Relmus
Não tome uma dose a dobrar para compensar o comprimido que se esqueceu de tomar

Se parar de tomar Relmus
O tratamento com Relmus não deve ser interrompido ou terminado prematuramente a não ser por indicação médica. Doutra forma a eficácia do tratamento fica comprometida. Caso ainda tenha dúvidas sobre a utilização deste medicamento, fale com o seu médico ou farmacêutico.

Quais são os possíveis efeitos secundários?

Os efeitos indesejáveis são apresentados de acordo com a seguinte frequência Muito frequentes Frequentes Pouco frequentes Raros Muito raros 110 1100, 110 11000, 1100 110 000, 11000 110 000 , desconhecido não pode ser calculado a partir dos dados disponíveis.

Doenças do Sistema Imunitário
Raros: angioedema
Muito raros: Reacções anafilácticas, tais como prurido ou urticária,

Afecções dos tecidos cutâneos e subcutâneas
Raros: reacções alérgicas cutâneas

Doenças do Sistema Nervoso
Raros: Sonolência

Doenças gastrointestinais
Raros: Diarreia (ver secção 4.4), Dor epigástrica, Náuseas, Vómitos

Como todos os medicamentos, Relmus pode causar efeitos secundários, no entanto estes não se manifestam em todas as pessoas.

Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar quaisquer efeitos secundários não mencionados neste folheto, informe o seu médico ou farmacêutico

Como deve ser guardado?

Não são necessárias precauções especiais de conservação.

Manter fora do alcance e da vista das crianças
.
Não tome Relmus após o prazo de validade impresso na embalagem exterior. O prazo de validade corresponde ao último dia do mês indicado.

Não tome Relmus se verificar que está alterado

Os medicamentos não devem ser eliminados na canalização ou no lixo doméstico. Pergunte ao seu farmacêutico como eliminar os medicamentos de que já não necessita. Estas medidas irão ajudar a proteger o ambiente.

Mais informações

Qual a composição do Relmus 8 mg comprimidos orodispersiveis

  • A substância activa é a tiocolquicosido
  • Os outros componentes são: Crospovidona, Aspartamo, manitol (Pearlitol 160 C e Pearlitol 200 SD), estearato de magnésio.

Qual é aspecto do Relmus 8 mg comprimidos orodispersiveis
Os comprimidos são amarelo claro com ranhura em blisters de Alu/Aluo com 20 ou 60 comprimidos orodispersíveis.

Titular da Autorização de Introdução no Mercado e Fabricante

Titular da Autorização de Introdução no Mercado e Fabricante:

SANOFI-AVENTIS ? Produtos Farmacêuticos, S.A.
Empreendimento Lagoas Park,
Edifício 7- 3º Piso
2740-244 Porto Salvo

Fabricante :

Sanofi-Aventis, S.A.
Avenida de Leganés, 62
E-28925 Alcorcón - Madrid
Espanha

Este folheto foi aprovado pela última vez em:

Cookies help us deliver our services. By using our services, you agree to our use of cookies. OK