Disfunção erétil

Disfunção erétil

Noções básicas

A disfunção eréctil é muito comum. Pode assumir-se que cada 10 homens é afectado. Em um sentido mais restrito, disfunção erétil é a disfunção erétil na qual o pênis não endurece na medida normal ou a ereção não pode ser mantida por tempo suficiente. Isto significa que um acto sexual satisfatório não é possível. Os médicos distinguem entre disfunção eréctil (impotentia coeundi) e infertilidade (impotentia generandi). Infertilidade é a incapacidade de ser pai de uma criança apesar de uma erecção normal.

A gravidade da impotência pode variar muito. Vai desde problemas que ocorrem apenas ocasionalmente até à perda completa da função eréctil. Se os problemas persistirem por pelo menos seis meses, os médicos consideram que se trata de disfunção eréctil.

A prevalência da disfunção eréctil entre homens de 20 a 30 anos na Alemanha é de cerca de dois por cento, enquanto cerca de 50 por cento das crianças entre 60 e 70 anos são afectadas. Uma vez que muitos dos afectados ajudam, apenas uma pequena parte é realmente tratada.

Causas

As seguintes causas físicas podem desencadear disfunções eréteis:

  • Doenças cardiovasculares
  • Pressão arterial elevada
  • Arteriosclerose
  • Diabetes
  • Cirurgia (por exemplo, câncer de próstata)
  • Consequências das lesões
  • Perturbações hormonais
  • Esclerose múltipla
  • Outras doenças nervosas

As causas mentais também podem contribuir para a disfunção eréctil:

  • Falta de autoconfiança
  • Falta de vontade
  • Ansiedade
  • Depressão
  • Pressão para realizar
  • Stress
  • Conflitos de parceria
  • Homossexualidade reprimida

Embora cerca de 70% das disfunções erécteis sejam de natureza física, a alma também desempenha aqui um papel importante. Os especialistas geralmente evitam separar as causas mentais das físicas. Pelo contrário, eles incluem todos os factores decisivos.

Fatores psicológicos podem levar a uma intensificação de pequenos defeitos físicos, que podem resultar em impotência. Muitos homens vêem um distúrbio de potência como uma fraqueza da sua masculinidade.

Cerca de um quarto dos pacientes sofre de disfunção eréctil que tem causas puramente psicológicas. Os psicólogos vêem a razão da disfunção eréctil principalmente nas inibições ou medos, bem como na pressão para realizar e no stress.

Sintomas

Pode ser feita uma distinção entre duas formas de impotência:


  • Disfunção erétil (impotência coeundi).

Neste tipo de impotência, as relações sexuais se tornam impossíveis porque o pênis não se torna suficientemente erecto. Além disso, há uma falta de controle sobre o momento da ejaculação, razão pela qual ocorre a ejaculação prematura ou retardada. Em outros, no entanto, a ejaculação não ocorre de todo (anejaculação). No entanto, isto é extremamente raro.

  • Infertilidade (impotentia generandi)

Nesta forma, ocorre uma ereção normal, mas nenhuma criança pode ser concebida. A ejaculação é normal, mas não há espermatozóides intactos, muito poucos espermatozóides ou nenhum espermatozóide no sémen.

Terapia

As seguintes opções estão disponíveis para tratar a disfunção eréctil:

  • As mais comuns são as drogas que suportam quimicamente a função eréctil. Estes incluem os inibidores de PDE-5.
  • Se a terapia com medicamentos não for bem sucedida, uma bomba de vácuo pode ser usada para bombear sangue para o pénis. A vantagem desta opção é que ela tem muito poucos efeitos colaterais, mas requer prática.
  • Outras opções de tratamento incluem drogas que são injetadas no tecido erétil do pênis antes da relação sexual (SKAT) ou supositórios que são inseridos na uretra (MUSE).
  • Se todos estes métodos não ajudarem, há sempre a opção de cirurgia. Neste caso, uma prótese peniana pode ser inserida. No entanto, este método só é usado como último recurso, uma vez que todos os corpos limiares do pénis têm de ser removidos. Esta remoção não pode ser revertida.
  • A fim de remediar causas psicológicas, podem ser aproveitadas sessões de aconselhamento psicológico sexual, bem como terapias comportamentais e psicanálises.

Previsão

Como em qualquer doença, o mesmo se aplica aqui: Quanto mais cedo for diagnosticada a disfunção eréctil, melhores serão as hipóteses de recuperação. Como o sentimento de vergonha muitas vezes prevalece, muitos homens afetados evitam ir ao médico. Em média, leva um ano e meio até que eles vejam um especialista.

Contudo, isto também pode ter consequências graves, porque em alguns casos a impotência indica uma doença cardiovascular, diabetes ou um distúrbio nervoso. Portanto, uma doença grave deve ser descartada por um especialista (urologista, internista, neurologista) se a disfunção erétil estiver presente.

Dicas

Para quebrar o círculo vicioso do medo e do fracasso e para aliviar a pressão emocional, é melhor colocar suas cartas na mesa e abordar abertamente o problema com seu parceiro. Isto também alivia as preocupações do parceiro sobre se outra mulher pode estar por trás da retirada ou se uma já não é atraente.

Há alguns pontos que devem ser enfatizados na conversa:

  • O momento em que você fala sobre o assunto deve ser bem escolhido. Não é uma boa idéia trazer o assunto à tona rapidamente antes de sair de casa. Deve haver tempo suficiente e deve-se ter o cuidado de garantir que você não seja perturbado.
  • Não se afaste do tópico e não se enredar em outros tópicos ou problemas da parceria.
  • Se possível, não se deve estar de mau humor no momento da conversa, caso contrário, existe apenas o perigo de a conversa degenerar num duelo falante sem soluções eficazes.

Por parte da mulher, alguns pontos também devem ser levados em conta no futuro. Por exemplo, se possível, a autoconfiança do parceiro deve ser reforçada e mesmo que chegue a uma discussão ou ela esteja zangada, ela não deve em circunstância alguma gozar com os problemas de ereção da outra pessoa ou usá-los como arma contra ela.

Depois de falar com o parceiro, o problema da disfunção eréctil deve ser esclarecido com a ajuda de um terapeuta ou de um médico. Em qualquer caso, a escolha da terapia deve ser feita por vocês os dois.

Anúncio

Anúncio

O seu assistente pessoal de medicamentos

Medicamentos

Pesquise aqui a nossa extensa base de dados de medicamentos de A-Z, com efeitos e ingredientes.

Substâncias

Todas as substâncias activas com a sua aplicação, composição química e medicamentos em que estão contidas.

Doenças

Causas, sintomas e opções de tratamento para doenças e lesões comuns.

O conteúdo apresentado não substitui a bula original do medicamento, especialmente no que diz respeito à dosagem e efeito dos produtos individuais. Não podemos assumir qualquer responsabilidade pela exactidão dos dados, uma vez que os dados foram parcialmente convertidos automaticamente. Um médico deve ser sempre consultado para diagnósticos e outras questões de saúde. Mais informações sobre este tópico podem ser encontradas aqui.

This website is certified by Health On the Net Foundation. Click to verify.