Citalopram Bexal 10 mg comprimidos revestidos

Código ATC
N06AB04
Citalopram Bexal 10 mg comprimidos revestidos

Bexal Produtos Farmacêuticos, S.A.

Substância(s)
Citalopram
Narcótica
Não
Grupo farmacológico Antidepressivos

Anúncio

Tudo para saber

Titular da autorização

Bexal Produtos Farmacêuticos, S.A.

O que é e como se utiliza?

Grupo Farmacoterapêutico: Grupo II.-8. c) Medicamentos do Sistema Nervoso Cérebrospinal. Psicofármacos. Antidepressores.

CITALOPRAM BEXAL são comprimidos revestidos para administração oral.

CITALOPRAM BEXAL 10 mg comprimidos revestidos está disponível em embalagens de 14, 28 e 56 comprimidos.

CITALOPRAM BEXAL é utilizado:

  • no tratamento de episódios depressivos major
  • no tratamento das perturbações de pânico, com ou sem agorafobia.

Anúncio

O que se deve tomar em consideração antes de utilizá-lo?

Não tome CITALOPRAM BEXAL:

  • se tem hipersensibilidade (alergia) ao citalopram ou a qualquer outro ingrediente de CITALOPRAM BEXAL .
  • se está a fazer um tratamento com um medicamento inibidor da monoamino oxidase (IMAOs),incluindo selegilina, em doses superiores a 10 mg/dia.
  • se tem epilepsia instável.
  • se tem insuficiência renal grave.
  • se tem menos de 18 anos.
  • se tem problemas hereditários de intolerância à galactose, deficiência de lactase Lapp ou má absorção glucose-galactose.

Tome especial cuidado com CITALOPRAM BEXAL:

  • se apresentar sintomas como agitação, tremores, contracção de um músculo ou grupo de músculos e temperatura elevada deve consultar rapidamente o seu médico assistente pois pode ser necessário interromper o tratamento.
  • - não deve usar citalopram em simultâneo com sumatriptano ou outros triptanos, tramadol, oxitriptano ou triptofano.
  • - se tem diabetes este medicamento pode alterar o controlo da glicemia. Pode ser necessário ajustar a dose de insulina e/ou de hipoglicémicos orais.
  • se apresentar convulsões o tratamento com citalopram deve ser interrompido.
  • se tem epilepsia controlada e apresentar um aumento da frequência das crises convulsivas o tratamento deve ser interrompido.
  • se está a fazer uma terapêutica electroconvulsiva.
  • se tem psicose maníaco depressiva e a fase depressiva se altera para uma fase maníaca. Neste caso o tratamento com citalopram deve ser interrompido e deve iniciar-se um tratamento adequado.
  • se está a fazer um tratamento simultâneo com medicamentos anticoagulantes, anti-inflamatórios não esteróides, ácido acetilsalicílico, ticlopidina ou outros medicamentos que possam aumentar o risco de hemorragia.
  • se tem um historial de hemorragias anormais.
  • sefez recentemente tratamento com um inibidor irreversível da mono amino oxidase; nesse caso deve esperar pelo menos 14 dias, antes de iniciar o tratamento com citalopram.
  • se fez recentemente tratamento com um inibidor reversível da mono amino oxidase, por exemplo moclobemida; nesse caso deve esperar o tempo indicado no folheto informativo desse medicamento, antes de iniciar o tratamento com citalopram.
  • Se vai iniciar um tratamento com um inibidor da monoamino oxidase deve esperar pelo menos 7 dias após a interrupção do citalopram antes de iniciar este tratamento.
  • se tem insuficiência hepática pode ser necessário reduzir a dose.

Os efeitos secundários podem ser mais frequentes durante o uso simultâneo de citalopram e preparações herbais como Hipericão. Assim, citalopram e preparações contendo Hipericão não devem ser usados concomitantemente.

Gravidez

O citalopram apenas pode ser utilizado durante a gravidez quando o médico assistente considerar absolutamente necessário.

Consulte o seu médico ou farmacêutico antes de tomar qualquer medicamento

Aleitamento

O citalopram é excretado no leite materno em pequenas quantidades pelo que, durante o período de aleitamento, utilizar apenas se o médico achar que os benefícios para a mãe forem superiores aos riscos para a criança.

Consulte o seu médico ou farmacêutico antes de tomar qualquer medicamento

Condução de veículos e utilização de máquinas

CITALOPRAM BEXAL pode reduzir a capacidade de conduzir e utilizar máquinas.

Tomar CITALOPRAM BEXAL com outros medicamentos

  • O uso de citalopram em simultâneo com inibidores da monoamino oxidase (IMAO) pode resultar em efeitos secundários graves. O citalopram não deve ser administrado em simultâneo com um IMAO ou durante os 14 dias após a interrupção do tratamento com um IMAO. Deve esperar pelo menos 7 dias, entre a interrupção do tratamento com citalopram e o início do tratamento com um inibidor MAO.
  • O citalopram não deve ser usado em simultâneo com agonistas 5-HT como o sumatriptano ou outros triptanos.
  • O citalopram não deve ser usado em associação com álcool.
  • A utilização de citalopram em simultâneo com cimetidina deve ser feita com precaução.
  • A utilização de citalopram em simultâneo com lítio deve fazer-se com precaução.
  • Quandose usa citalopram em simultâneo com desipramina pode ser necessário reduzir a dose de desipramina.

Informe o seu médico ou farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos sem receita médica.

Como é utilizado?

Tomar CITALOPRAM BEXAL sempre de acordo com as instruções do médico. Fale com o seu médico ou farmacêutico se tiver dúvidas.

O Citalopram deve ser administrado como dose oral simples, de manhã ou à noite. Os comprimidos podem ser tomados com ou sem alimentos, mas com liquido.

Após o início do tratamento só começa a sentir melhoras após, pelo menos, 2 semanas de tratamento. Quando deixar de apresentar sintomas, o tratamento deve continuar durante 4-6 meses. O citalopram deve ser descontinuado de uma forma lenta, sendo aconselhável que a dose seja reduzida gradualmente, ao longo de um período de 1-2 semanas.

Adultos:

  • No tratamento de episódios depressivos majorA dose usual é de 20 mg de citalopram uma vez ao dia, com uma dose máxima recomendada de 60 mg por dia; a dose vai depender da resposta individual do doente. Após início do tratamento, o efeito antidepressivo não deve ser esperado durante, pelo menos, duas semanas. O tratamento deve manter-se até que deixe de apresentar sintomas durante 4-

6 meses de forma a proporcionar a protecção adequada a uma possível recaída.

  • No tratamento da perturbação de pânico É recomendada uma dose única de 10 mg por dia durante a primeira semana, para evitar reacções paradoxais (por ex. pânico e ansiedade); de seguida a dose pode ser aumentada para 20 mg por dia. Os primeiros efeitos terapêuticos surgem normalmente após 2-4 semanas. A dose pode ainda ser aumentada até 60 mg por dia, dependendo da resposta individual do doente. Podem ser necessários até 3 meses para que ocorra uma resposta terapêutica completa. Pode ser necessário continuar o tratamento por vários meses. Não existe documentação suficiente relativa a estudos de eficácia clínica de duração superior a 6 meses.

Doentes idosos:

  • No tratamento de episódios depressivos major A dose diária recomendada é de 10 mg uma vez ao dia. A dose pode ser aumentada até um máximo de 30 mg por dia, dependendo da resposta individual.
  • No tratamento da perturbação de pânico A dose diária recomendada é de 10 mg uma vez ao dia. A dose pode ser aumentada até um máximo de 30 mg por dia, dependendo da resposta individual.

Crianças e adolescentes com menos de 18 anos:

Não recomendado na medida em que a segurança e eficácia não foram ainda estabelecidas neste grupo etário.

Insuficiência da função hepática:

Doentes com insuficiência hepática devem tomar uma dose inicial de 10 mg por dia. A dose não deve exceder os 30 mg diários. Estes doentes devem ser clinicamente monitorizados.

Insuficiência da função renal:

Em doentes com insuficiência renal ligeira a moderada não são necessários ajustes de dose. Não se recomenda a utilização de citalopram em doentes com insuficiência renal grave (clearance da creatinina inferior a 20 ml/min) na medida em que não existe informação disponível sobre o uso nestes doentes.

Para os diferentes regimes posológicos devem ser prescritas as dosagens apropriadas.

O tratamento com Citalopram deve ser interrompido de forma gradual, ao longo de um período de 1-2 semanas.

Fale com o seu médico ou farmacêutico se tiver a impressão de que CITALOPRAM BEXAL é demasiado forte ou demasiado fraco.

Se tomar mais CITALOPRAM BEXAL do que deveria

Deve informar o seu médico assistente rapidamente.

Os sintomas observados nos casos de sobredosagem foram os seguintes: náuseas, vómitos, suores, taquicardia (aumento do ritmo cardíaco), sonolência, coma, distonia, convulsões, hiperventilação e febre elevada. A nível cardíaco pode ocorrer ritmo nodal, intervalo QT prolongado e complexo QRS alargado. Pode também ocorrer bradicardia (frequência cardíaca reduzida) prolongada, com hipotensão grave e síncope.
Em caso de sobredosagem grave, podem ocorrer raramente sintomas de síndrome serotonínico, incluindo alteração do estado mental, hiperactividade neuromuscular e instabilidade autonómica. Pode ocorrer febre elevada e aumento dos níveis de creatina-cinase sérica. A ocorrência de rabdomiólise é rara.

Quando o citalopram é administrado simultaneamente com álcool, os seus efeitos são potenciados.

Deve ser efectuado um eletrocardiograma. Em adultos e crianças que ingeriram mais de 5 mg/kg de peso corporal numa hora, deve ser administrado carvão activado por via oral. As convulsões devem ser controladas com diazepam intravenoso, se estas forem frequentes ou prolongadas. O tratamento deve ser sintomático e de suporte, incluindo a manutenção das vias respiratórias limpas e a monitorização da função cardíaca e dos sinais vitais, até que estes estejam estabilizados.

Caso se tenha esquecido de tomar CITALOPRAM BEXAL

Se se esquecer de tomar uma dose tome-a logo que possível, retomando o intervalo de cerca de 24 h até à próxima toma.
Caso seja já o momento de efectuar outra toma não tome uma dose a dobrar para compensar a dose que se esqueceu de tomar.

Efeitos da interrupção do tratamento com CITALOPRAM BEXAL

Podem ocorrer reacções de privação quando o tratamento é interrompido. Estas reacções incluem: tonturas, sensação de formigueiro, dores de cabeça, náuseas e ansiedade. A maioria das reacções de privação são de natureza ligeira e acabam por desaparecer. Quando se pretende interromper o tratamento é aconselhável proceder a uma redução gradual da dose ao longo de um período de 1 a 2 semanas.

Quais são os possíveis efeitos secundários?

Como os demais medicamentos CITALOPRAM BEXAL pode ter efeitos secundários.

Os efeitos secundários observados com citalopram são geralmente ligeiros e temporários. São mais eminentes durante as primeiras semanas de tratamento e habitualmente vão-se atenuando à medida que o estado depressivo melhora.

Efeitos secundários muito frequentes: sonolência, insónia, agitação, nervosismo, dores de cabeça, tremores, tonturas, palpitações, náuseas, boca seca, prisão de ventre, diarreia, aumento da transpiração, alterações da visão, fraqueza.

Efeitos secundários frequentes: perturbações do sono, alteração da capacidade de concentração, sonhos anormais, amnésia, ansiedade, aumento do apetite, perda do apetite, diminuição do apetite sexual, apatia, tentativa de suicídio, confusão, enxaquecas, sensações de formigueiro, batimentos cardíacos acelerados, tensão arterial baixa ou elevada, indisposição, vómitos, dores de barriga, gases no estômago e intestino, aumento da produção de saliva, alteração da frequência urinária, excreção excessiva de urina, aumento ou perda de peso, inflamação da mucosa nasal, sinusite, incapacidade de ejaculação, ausência de orgasmo nas mulheres, menstruações dolorosas, impotência, alterações do paladar, erupções cutâneas, prurido, fadiga, bocejar frequente.

Efeitos secundários pouco frequentes: euforia, aumento do apetite sexual, convulsões, diminuição do ritmo cardíaco, aumentos dos valores das enzimas hepáticas, tosse, aumento da sensibilidade da pele à luz, zumbidos, dores musculares, reacções alérgicas, síncope, mal-estar generalizado.

Outros efeitos secundários registados: alucinações, mania, perda de sentido da identidade, ataques de pânico (estes sintomas podem ser devidos à doença subjacente), secreção persistente pelo mamilo de uma substância branca semelhante a leite, edemas, dores nas articulações, reacções do tipo anafiláctico. hemorragia (por exemplo hemorragia ginecológica, hemorragia gastro-intestinal, equimoses e outras formas de hemorragia da pele ou das mucosas).

Caso detecte efeitos secundários não mencionados neste folheto, informe o seu médico ou farmacêutico

Como deve ser guardado?

Manter fora do alcance e da vista das crianças.

Não são necessárias precauções especiais de conservação.

Não utilize CITALOPRAM BEXAL após expirar o prazo de validade indicado na embalagem.

Mais informações

Para quaisquer informações sobre este medicamento, queira contactar o titular da Autorização de Introdução no Mercado:

BEXAL Produtos Farmacêuticos S.A.
Rua Professor Ricardo Jorge, 5-A, Miraflores,
1495-153 ALGÉS
tel.: 21 412 61 00

Este folheto foi aprovado pela ultima vez em

O seu assistente pessoal de medicamentos

Medicamentos

Pesquise aqui a nossa extensa base de dados de medicamentos de A-Z, com efeitos e ingredientes.

Substâncias

Todas as substâncias activas com a sua aplicação, composição química e medicamentos em que estão contidas.

Doenças

Causas, sintomas e opções de tratamento para doenças e lesões comuns.

O conteúdo apresentado não substitui a bula original do medicamento, especialmente no que diz respeito à dosagem e efeito dos produtos individuais. Não podemos assumir qualquer responsabilidade pela exactidão dos dados, uma vez que os dados foram parcialmente convertidos automaticamente. Um médico deve ser sempre consultado para diagnósticos e outras questões de saúde. Mais informações sobre este tópico podem ser encontradas aqui.

This website is certified by Health On the Net Foundation. Click to verify.