Glypvilo

Código ATC
A10BH02
Glypvilo

KRKA d.d.

Medicamentos padrão Humano
Substância(s)
Vildagliptina
Narcótica
Não
Data de aprovação 14.02.2019
Grupo farmacológico Medicamentos para redução da glicemia, exceto insulinas

Anúncio

Tudo para saber

Titular da autorização

KRKA d.d.

O que é e como se utiliza?

A substância ativa de Glypvilo, vildagliptina, pertence a um grupo de medicamentos denominados “antidiabéticos orais”.

Glypvilo é utilizado para tratamento de doentes adultos com diabetes tipo 2. É utilizado quando a diabetes não está controlada apenas com a dieta e o exercício. Ajuda a controlar o nível de açúcar no sangue. O seu médico irá prescrever-lhe Glypvilo isoladamente ou em associação com alguns outros medicamentos antidiabéticos que já esteja a tomar, se estes provaram não ser suficientemente efetivos, para controlo da diabetes.

A diabetes tipo 2 desenvolve-se se o organismo não produzir insulina suficiente ou se a insulina produzida pelo organismo não funcionar tão bem como deveria. Pode também desenvolver-se se o organismo produzir demasiado glucagon.

A insulina é uma substância que ajuda a reduzir o nível de açúcar no sangue, especialmente após as refeições. O glucagon é uma substância que desencadeia a produção de açúcar pelo fígado, provocando o aumento do nível de açúcar no sangue. O pâncreas produz estas duas substâncias.

Como atua Glypvilo

APROVADO EM 14-02-2019 INFARMED

Glypvilo atua estimulando o pâncreas a produzir mais insulina e menos glucagon. Isto ajuda a controlar o nível de açúcar no sangue. Este medicamento provou reduzir o açúcar no sangue, o que pode ajudar a prevenir complicações da diabetes. Mesmo que esteja agora a iniciar um medicamento para a diabetes, é importante que mantenha a dieta e/ou o exercício que lhe foi recomendado.

Anúncio

O que se deve tomar em consideração antes de utilizá-lo?

Não tome Glypvilo:

- se tem alergia à vildagliptina ou a qualquer outro componente deste medicamento (indicados na secção 6). Se pensa que pode ser alérgico à vildagliptina ou a qualquer um dos outros componentes, consulte o seu médico.

Advertências e precauções

Fale com o seu médico, farmacêutico ou enfermeiro antes de tomar Glypvilo

  • se tem diabetes tipo 1 (isto é o seu organismo não produz insulina), ou se tem corpos cetónicos (sangue ácido), uma condição clínica chamada cetoacidose diabética.
  • se estiver a tomar um medicamento antidiabético conhecido como uma sulfonilureia (o seu médico pode querer reduzir a dose da sulfonilureia quando for tomá-la juntamente com Glypvilo para evitar um nível baixo de açúcar no sangue [hipoglicemia]).
  • se tem doença renal ligeira ou grave (terá de tomar uma dose mais baixa de Glypvilo).
  • se faz diálise.
  • se tem doença hepática.
  • se sofre de insuficiência cardíaca.
  • se tem ou teve uma doença do pâncreas.

Se já tomou vildagliptina mas teve de interromper o tratamento devido a doença do fígado, não deve tomar este medicamento.

Lesões na pele são uma complicação comum da diabetes. Recomenda-se que siga as recomendações para cuidado da pele e dos pés que lhe são transmitidas pelo seu médico ou enfermeiro. Recomenda-se também que tenha particular atenção ao aparecimento de vesículas ou úlceras enquanto estiver a tomar Glypvilo. Se isto acontecer deve consultar imediatamente o seu médico.

Antes de iniciar o tratamento com Glypvilo será feito um teste para determinação da sua função hepática, trimestralmente durante o primeiro ano e depois periodicamente. Os testes destinam-se a detetar o mais cedo possível aumentos das enzimas hepáticas.

Crianças e adolescentes

A utilização de Glypvilo não é recomendada em crianças e adolescentes até aos 18 anos de idade.

Outros medicamentos e Glypvilo

Informe o seu médico ou farmacêutico se estiver a tomar, ou tiver tomado recentemente, ou se vier a tomar outros medicamentos.

O seu médico pode considerar alterar a sua dose de Glypvilo se estiver a tomar outros medicamentos tais como:

  • tiazidas ou outros diuréticos
  • corticosteroides (usados geralmente para tratar inflamação)
  • medicamentos para a tiroide
  • certos medicamentos que afetam o sistema nervoso.

Gravidez, amamentação

Se está grávida ou a amamentar, se pensa estar grávida ou planeia engravidar, consulte o seu médico ou farmacêutico antes de tomar este medicamento.

Não deve tomar Glypvilo durante a gravidez. Desconhece-se se o Glypvilo passa para o leite materno. Não deve tomar Glypvilo se estiver a amamentar ou planeia amamentar.

Condução de veículos e utilização de máquinas

Se sentir tonturas enquanto está a tomar Glypvilo não conduza veículos nem utilize máquinas.

Glypvilo contém sódio

Este medicamento contém menos que 1mmol (23 mg) de sódio por comprimido, ou seja, é praticamente “isento de sódio”.

Como é utilizado?

Tome este medicamento exatamente como indicado pelo seu médico. Fale com o seu médico ou farmacêutico se tiver dúvidas.

Quando e que quantidade tomar

A quantidade de Glypvilo que cada indivíduo deve tomar varia com a sua condição. O seu médico dir-lhe-á exatamente quantos comprimidos de Glypvilo deve tomar. A dose máxima diária é 100 mg.

A dose habitual de Glypvilo é de:

  • 50 mg por dia, tomados de uma só vez pela manhã se estiver a tomar Glypvilo com um outro medicamento denominado sulfonilureia.
  • 100 mg por dia tomados 50 mg de manhã e 50 mg à noite se estiver a tomar Glypvilo isoladamente, com outro medicamento denominado metformina ou uma glitazona, com a associação de metformina e uma sulfonilureia, ou com insulina.

  • 50 mg por dia, tomados de manhã, se tiver compromisso renal moderado ou grave ou se fizer diálise.
    Como tomar Glypvilo
  • Engula os comprimidos inteiros com um pouco de água.

Durante quanto tempo deve tomar Glypvilo

  • Tome Glypvilo todos os dias durante o tempo que o seu médico indicar. Pode ter de fazer este tratamento durante um longo período de tempo.
  • O seu médico irá examiná-lo regularmente para avaliar se o tratamento está a ter o efeito desejado.

Se tomar mais Glypvilo do que deveria

Se tomou demasiados comprimidos de Glypvilo ou se alguém tomou os seus comprimidos, contacte imediatamente o seu médico. Podem ser necessários cuidados médicos. Se for necessário dirigir-se ao médico ou ao hospital leve consigo a embalagem.

Caso se tenha esquecido de tomar Glypvilo

Caso se tenha esquecido de tomar uma dose de Glypvilo, tome-a assim que se lembrar. Depois tome a dose seguinte à hora habitual. Se estiver quase na hora de tomar a dose seguinte tome apenas essa. Não tome uma dose a dobrar para compensar um comprimido que se esqueceu de tomar.

Se parar de tomar Glypvilo

Não deixe de tomar Glypvilo a menos que o seu médico lhe dê essa indicação. Fale com o seu médico se tiver dúvidas sobre durante quanto tempo deve tomar este medicamento. Caso ainda tenha dúvidas sobre a utilização deste medicamento, fale com o seu médico ou farmacêutico.

Quais são os possíveis efeitos secundários?

Como todos os medicamentos, este medicamento pode causar efeitos secundários, embora estes não se manifestem em todas as pessoas.

Alguns sintomas requerem assistência médica imediata:

Deve parar de tomar Glypvilo e consultar imediatamente o seu médico se detetar um dos seguintes efeitos secundários:

  • Angioedema (raro: pode afetar até 1 em 1.000 pessoas): os sintomas incluem inchaço da face, da língua ou da garganta, dificuldade em engolir, dificuldade em respirar, erupção cutânea súbita ou urticária, que podem ser indicativos de uma reação denominada “angioedema”.
  • Doença do fígado (hepatite) (raro): os sintomas incluem pele e olhos amarelos, náuseas, perda de apetite ou urina de cor escura, que podem ser indicativos de doença no fígado (hepatite).

- Inflamação do pâncreas (pancreatite) (frequência desconhecida): Os sintomas incluem dor forte e persistente no abdómen (zona do estômago), que pode irradiar para as costas, bem como náuseas e vómitos.

Outros efeitos secundários

Alguns doentes manifestaram os seguintes efeitos secundários quando tomaram Glypvilo e metformina:

  • Frequentes (podem afetar até 1 em 10 pessoas): tremores, cefaleias (dor de cabeça), tonturas, náuseas, glicose baixa no sangue.
  • Pouco frequentes (podem afetar 1 em 100 pessoas): cansaço

Alguns doentes manifestaram os seguintes efeitos secundários quando tomaram Glypvilo e uma sulfonilureia:

  • Frequentes: tremores, cefaleias (dor de cabeça), tonturas, fraqueza, glicose baixa no sangue
  • Pouco frequentes: obstipação (prisão de ventre)
  • Muito raros (podem afetar até 1 em 10.000 pessoas): dor de garganta, corrimento nasal

Alguns doentes manifestaram os seguintes efeitos secundários quando tomaram Glypvilo e uma glitazona:

  • Frequentes: aumento de peso, inchaço das mãos, tornozelos e pés (edema)
  • Pouco frequentes: cefaleias (dor de cabeça), fraqueza, glicose baixa no sangue

Alguns doentes manifestaram os seguintes efeitos secundários quando tomaram Glypvilo isoladamente:

  • Frequentes: tonturas
  • Pouco frequentes: cefaleias (dor de cabeça), obstipação (prisão de ventre), mãos, pés ou tornozelos inchados (edema), dor nas articulações, glicose baixa no sangue
  • Muito raros: dor de garganta, corrimento nasal, febre

Alguns doentes manifestaram os seguintes efeitos secundários quando tomaram Glypvilo, metformina e uma sulfonilureia:

- Frequentes: tonturas, tremores, fraqueza, glicose baixa no sangue, transpiração excessiva

Alguns doentes manifestaram os seguintes efeitos secundários quando tomaram Glypvilo e insulina (com ou sem metformina):

Desde que este produto se encontra no mercado, foram também comunicados os seguintes efeitos secundários:

- Frequência desconhecida (não pode ser calculado a partir dos dados disponíveis): Erupção cutânea com comichão, inflamação do pâncreas, descamação da pele localizada ou bolhas, dor muscular

Comunicação de efeitos secundários

Se tiver quaisquer efeitos secundários, incluindo possíveis efeitos secundários não indicados neste folheto, fale com o seu médico ou farmacêutico. Também poderá comunicar efeitos secundários diretamente ao INFARMED, I.F. através dos contactos abaixo. Ao comunicar efeitos secundários, estará a ajudar a fornecer mais informações sobre a segurança deste medicamento.

INFARMED, I.F.

Direção de Gestão do Risco de Medicamentos Parque da Saúde de Lisboa, Av. Brasil 53 1749-004 Lisboa

Tel: +351 21 798 73 73

Linha do Medicamento: 800222444 (gratuita) Fax: + 351 21 798 73 97

Sítio da internet: http://extranet.infarmed.pt/page.seram.frontoffice.seramhomepage E-mail: farmacovigilancia@infarmed.pt

Como deve ser guardado?

Manter este medicamento fora da vista e do alcance das crianças.

Não utilize este medicamento após o prazo de validade inscrito na embalagem, após VAL. O prazo de validade corresponde ao último dia do mês indicado.

O medicamento não necessita de qualquer temperatura especial de conservação. Conservar na embalagem de origem para proteger da humidade.

Não deite fora quaisquer medicamentos na canalização ou no lixo doméstico. Pergunte ao seu farmacêutico como deitar fora os medicamentos que já não utiliza. Estas medidas ajudarão a proteger o ambiente.

Mais informações

Qual a composição de Glypvilo

- A substância ativa é a vildagliptina.

Cada comprimido contém 50 mg de vildagliptina.

- Os outros componentes (excipientes) são manitol (E421), hidroxipropilcelulose (tipo EF, 300-600mPas), hidroxipropilcelulose de baixa substituição, celulose microcristalina (tipo 112), amido glicolato de sódio (Tipo A), sílica coloidal anidra e estearil fumarato de sódio. Ver secção 2 “Glypvilo contém sódio”.

Qual o aspeto de Glypvilo e conteúdo da embalagem

Os comprimidos são brancos ou quase brancos, redondos, com arestas biseladas, 8 mm de diâmetro e espessura de 3,2 – 5,0 mm.

Glypvilo está disponível em embalagens contendo 28, 30, 56, 60, 90, 112 e 180 comprimidos em blister.

É possível que não sejam comercializadas todas as apresentações.

Titular da Autorização de Introdução no Mercado e fabricante

Krka, d.d., Novo mesto Šmarješka cesta 6 8501 Novo mesto Eslovénia

Este medicamento encontra-se autorizado nos Estados Membros do Espaço Económico Europeu (EEE) com os seguintes nomes:

Estado MembroNome do medicamento
Bulgária50 mg
CroáciaGlypvilo 50 mg tablete
HungriaGlypvilo 50 mg tabl
EslováquiaGlypvilo 50 mg
EslovéniaGlypvilo 50 mg tablete
EspanhaGlypvilo 50 mg comprimidos EFG
EstóniaGlypvilo
LetóniaGlypvilo 50 mg tabletes
LituâniaGlypvilo 50 mg tabletés
PolóniaGlypvilo
PortugalGlypvilo
República ChecaGlypvilo
RoméniaGlypvilo 50 mg comprimate

Este folheto foi revisto pela última vez em

Última actualização: 04.06.2022

Fonte: Glypvilo - Inserção da embalagem

O seu assistente pessoal de medicamentos

Medicamentos

Pesquise aqui a nossa extensa base de dados de medicamentos de A-Z, com efeitos e ingredientes.

Substâncias

Todas as substâncias activas com a sua aplicação, composição química e medicamentos em que estão contidas.

Doenças

Causas, sintomas e opções de tratamento para doenças e lesões comuns.

O conteúdo apresentado não substitui a bula original do medicamento, especialmente no que diz respeito à dosagem e efeito dos produtos individuais. Não podemos assumir qualquer responsabilidade pela exactidão dos dados, uma vez que os dados foram parcialmente convertidos automaticamente. Um médico deve ser sempre consultado para diagnósticos e outras questões de saúde. Mais informações sobre este tópico podem ser encontradas aqui.

This website is certified by Health On the Net Foundation. Click to verify.