Amlodipina Dilocea

Código ATC
C08CA01
Amlodipina Dilocea

Ceamed, Serviço e Consultadoria Farmacêutica, Lda.

Substância(s)
Amlodipina
Narcótica
Não
Grupo farmacológico Bloqueadores seletivos dos canais de cálcio com efeitos principalmente vasculares

Anúncio

Tudo para saber

Titular da autorização

Ceamed, Serviço e Consultadoria Farmacêutica, Lda.

O que é e como se utiliza?

Amlodipina Dilocea é um anti-hipertensor pertencente ao grupo dos bloqueadores dos canais de cálcio e ao grupo dos antianginosos.

Amlodipina Dilocea está indicado no tratamento de primeira linha da hipertensão (pressão arterial elevada) e da isquémia do miocárdio (por ex., angina de peito).

Anúncio

O que se deve tomar em consideração antes de utilizá-lo?

Não tome Amlodipina Dilocea:

  • se tem alergia (hipersensibilidade) à amlodipina ou a qualquer outro componente de Amlodipina Dilocea.
  • se tem hipersensibilidade às dihidropiridinas em geral.

Tome especial cuidado com Amlodipina Dilocea:
Crianças
A segurança e a eficácia da utilização da amlodipina em crianças não foram estabelecidas.

Insuficiência Hepática
Nestas situações o tempo de acção da amlodipina está prolongado não tendo sido estabelecida a posologia apropriada. Nestes doentes o medicamento deverá ser administrado com precaução.

Insuficiência cardíaca
Nos doentes com insuficiência cardíaca grave, a utilização da amlodipina não conduziu ao agravamento da doença. No entanto, tem sido associado a um maior número de relatos de edema pulmonar.

Tomar Amlodipina Dilocea com outros medicamentos
Não são conhecidas interacções significativas com outros medicamentos ou com os alimentos. Informe o seu médico ou farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos sem receita médica.

Tomar Amlodipina Dilocea com alimentos e bebidas
Deverá tomar os comprimidos de Amlodipina Dilocea todos os dias, com água ou outra bebida não alcoólica, com ou sem alimentos.

Gravidez e aleitamento
Consulte o seu médico ou farmacêutico antes de tomar qualquer medicamento. A segurança da utilização da amlodipina durante a gravidez e lactação não foi ainda estabelecida. Se está grávida (ou pensa poder estar grávida) ou a amamentar, apenas poderá tomar Amlodipina Dilocea se receitado por um médico que tenha conhecimento do seu estado. Consulte o seu médico ou farmacêutico antes de tomar qualquer medicamento.

Condução de veículos e utilização de máquinas
A experiência clínica com amlodipina indica que é improvável que diminua a capacidade dos doentes de condução de veículos e do uso de máquinas.

Como é utilizado?

Tomar Amlodipina Dilocea sempre de acordo com as instruções do médico. Fale com o seu médico ou farmacêutico se tiver dúvidas.

Tanto na hipertensão, como na angina a dose inicial habitual é de 1 comprimido de 5 mg de Amlodipina Dilocea, uma vez ao dia. Esta dose pode ser aumentada até uma dose máxima de 10 mg, de acordo com a resposta do doente.

A administração simultânea de outros medicamentos, tais como diuréticos, bloqueadores-(3 e inibidores da enzima de conversão da angiotensina, não exige um reajustamento da dose de Amlodipina Dilocea.

Idosos
Recomenda-se o esquema posológico normal. A amlodipina, administrada nas mesmas doses ao doente idoso e ao doente mais jovem, é igualmente bem tolerado.

Insuficiência Renal
A amlodipina pode ser usada em doses normais nestes doentes. A amlodipina não é eliminada por diálise.

Insuficiência Hepática
Ver "Tome especial cuidado com Amlodipina Dilocea".
O seu médico aconselhá-lo-á relativamente à dose a utilizar.

Modo e via de administração
Deverá tomar os comprimidos de Amlodipina Dilocea todos os dias, com água ou outra bebida não alcoólica, com ou sem alimentos.

Momento mais favorável à administração
A administração deve ser feita conforme indicação do seu médico, de preferência sempre à mesma hora.

Duração média do tratamento
Amlodipina Dilocea destina-se ao tratamento contínuo de doenças crónicas e, só deve ser interrompido por indicação do seu médico.

Se tomar mais Amlodipina Dilocea do que deveria:
Se for administrada uma dose excessiva de Amlodipina Dilocea, por exemplo, em caso de ingestão acidental por uma criança, poderá ocorrer uma acentuada diminuição da pressão arterial, cujos principais sintomas são: tonturas, suores intensos, batimento acelerado do coração e cansaço. Em tal situação deverá consultar imediatamente um médico ou dirigir-se à urgência hospitalar mais próxima.

Caso se tenha esquecido de tomar Amlodipina Dilocea:
Não tome uma dose a dobrar para compensar a dose que se esqueceu de tomar.
Se se esquecer de tomar o medicamento deverá tomar a dose seguinte, à hora normal. Não tome uma dose dupla para compensar a dose esquecida. Se se esquecer de tomar o medicamento por vários dias, deverá contactar o seu médico.

Caso ainda tenha dúvidas sobre a utilização deste medicamento, fale com o seu médico ou farmacêutico.

Quais são os possíveis efeitos secundários?

Como todos os medicamentos, Amlodipina Dilocea pode causar efeitos secundários, no entanto estes não se manifestam em todas as pessoas.

A amlodipina é geralmente bem tolerada.

Os efeitos secundários frequentes são os seguintes: cefaleias (dores de cabeça), edema (inchaço), rubor (sensação de calor na face), cansaço, náuseas, sonolência, dores abdominais, tonturas e palpitações.

Os efeitos secundários pouco frequentes incluem alopécia (queda do cabelo), alteração do trânsito intestinal, aumento/diminuição de peso, artralgia (dor nas articulações), dor torácica, astenia (falta de forças), dores,

dor lombar, dispepsia (digestão difícil), vómitos, dispneia (dificuldade em respirar), ginecomastia (aumento do volume mamário), impotência, aumento da frequência urinária, indisposição, alterações do humor, insónias, secura da boca, cãibras musculares, mialgia (dor nos músculos), hipoestesia (diminuição da sensibilidade táctil), parestesias (sensação de formigueiro ou adormecimento nos membros), tremores, noctúria, alterações da micção, hipersudorese (sudação aumentada), hipotensão, síncope (desmaio), púrpura, rinite, prurido, rash (manchas na pele), descoloração da pele, distúrbios da visão, alterações do paladar e zumbidos.

Muito raramente foram descritos os seguintes efeitos secundários: tosse, hiperplasia gengival (gengivas inchadas), hiperglicémia, leucopenia (baixa de glóbulos brancos), hipertonia, neuropatia periférica (doença dos nervos periféricos), enfarte do miocárdio, arritmia (batimentos cardíacos irregulares), pancreatite (inflamação do pâncreas), trombocitopenia (baixa das plaquetas), vasculites (inflamação dos vasos sanguíneos), hepatite, icterícia, aumento das enzimas hepáticas, gastrite, reacção alérgica, angioedema (inchaço generalizado), eritema multiforme (manchas vermelhas na pele) e urticária.

Em muitos casos, a relação entre estes efeitos e a toma do medicamento é incerta.

Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar quaisquer efeitos secundários não mencionados neste folheto, informe o seu médico ou farmacêutico.

Como deve ser guardado?

Manter fora do alcance e da vista das crianças.

Não conservar acima de 25°C.

Não utilize Amlodipina Dilocea após expirar o prazo de validade indicado na embalagem ou blister.

Os medicamentos não devem ser eliminados na canalização ou no lixo doméstico. Pergunte ao seu farmacêutico como eliminar os medicamentos de que já não necessita. Estas medidas irão ajudar a proteger o ambiente.

Mais informações

Qual a composição de Amlodipina Dilocea

A substância activa é a amlodipina.
Os outros componentes são celulose microcristalina, hidrogenofosfato de cálcio anidro, amido glicolato de sódio (Tipo A) e estearato de magnésio.

Qual o aspecto de Amlodipina Dilocea e conteúdo da embalagem O comprimidos são brancos, redondos e biconvexos, acondicionados em blister opaco de PVC/PVDC/Alu.

Amlodipina Dilocea 5 mg comprimidos ? Embalagens de 10, 20, 30 e 60 comprimidos.

Amlodipina Dilocea 10 mg comprimidos ? Embalagens de 30 e 60 comprimidos.

É possível que não sejam comercializadas todas as apresentações.

Titular da Autorização de Introdução no Mercado e Fabricante

Titular da Autorização de Introdução no Mercado
CeaMed, Serviço e Consultadoria Farmacêutica. Lda.
Avenida Arriaga, Edifício ?Marina Club?, 5º Andar, Apartamento 506, 9000-533, Funchal.
Portugal
Telefone: 964778102
E-mail: ana.aires@ceamed.pt

Fabricante
LEF ? Instituto Farmacêutico de Ciências e Tecnologia, Unipessoal, Lda. Rua das Ferrarias Del Rei, lote EIT 4, Urbanização da Fábrica da Pólvora, 2730-069, Barcarena
Portugal
Telefone: 21 427 86 10
Telefax: 21 427 86 39

Este folheto foi aprovado pela última vez em

O seu assistente pessoal de medicamentos

Medicamentos

Pesquise aqui a nossa extensa base de dados de medicamentos de A-Z, com efeitos e ingredientes.

Substâncias

Todas as substâncias activas com a sua aplicação, composição química e medicamentos em que estão contidas.

Doenças

Causas, sintomas e opções de tratamento para doenças e lesões comuns.

O conteúdo apresentado não substitui a bula original do medicamento, especialmente no que diz respeito à dosagem e efeito dos produtos individuais. Não podemos assumir qualquer responsabilidade pela exactidão dos dados, uma vez que os dados foram parcialmente convertidos automaticamente. Um médico deve ser sempre consultado para diagnósticos e outras questões de saúde. Mais informações sobre este tópico podem ser encontradas aqui.

This website is certified by Health On the Net Foundation. Click to verify.