Uriprim

Código ATC
M04AA01
Uriprim

Interbial - Produtos Farmacêuticos, S.A.

Substância(s)
Allopurinol
Narcótica Psicotrópica
Não Não
Grupo farmacológico Preparações antigota

Anúncio

Tudo para saber

Autor

Interbial - Produtos Farmacêuticos, S.A.

O que é e como se utiliza?

Este medicamento é usado no tratamento da hiperuricemia primária da gota (no intervalo das crises). Tratamento da hiperuricemia secundária à policitemia vera, metaplasia mielóide e outras discrasias sanguíneas. Tratamento da hiperuricemia secundária da doença de Lesch-Nyhan. Profilaxia da hiperuricemia e da calculose renal em doentes com leucemias, linfomas ou outras doenças malignas, particularmente no início da quimioterapia ou da radioterapia anti-neoplásica. A hiperuricemia não é, por si só, uma indicação para a utilização de alopurinol.

Anúncio

O que se deve tomar em consideração antes de utilizá-lo?

Deve reduzir-se a dose em doentes com insuficiência renal ou hepática. Recomenda-se precaução na administração de alopurinol a doentes em tratamento com anti-hipertensores (ex. Diuréticos ou IECAs) ou que sofram de insuficiência cardíaca, pois pode ocorrer falência renal concomitante.
A hiperuricemia assintomática, por si só, não é uma indicação para a utilização de alopurinol. O tratamento da causa subjacente, medidas dietéticas e alterações na ingestão de líquidos poderão corrigir a situação.
O alopurinol pode aumentar a frequência de crises agudas de gota durante os primeiros 6-12 meses de terapêutica, por isso devem ser administradas doses profiláticas de colquicina concomitantemente durante os primeiros 3 a 6 meses de tratamento com alopurinol.

Nas crianças, o alopurinol só deve ser utilizado no tratamento da hiperuricemia da doença de Lesh-Nyhan e de doenças malignas, e na profilaxia da hiperuricemia de doenças malignas (no início da quimioterapia e da radioterapia).
Embora tal possibilidade seja rara, a fim de evitar a formação de cálculos renais de xantina, deve aconselhar-se a ingestão abundante de líquidos durante os tratamentos crónicos com alopurinol. As doses mais elevadas de alopurinol diminuem a xantinúria e aumentam proporcionalmente a hipoxantinúria, o que também é uma medida profilática da calculose renal, uma vez que a hipoxantina é muito mais solúvel que a xantina.
A dose de alopurinol deve ser reduzida para metade nos grandes insuficientes renais (depuração de creatinina inferior a 10 ml).
Caso o doente esteja medicado com anticoagulantes orais, os controlos da taxa de protrombina deverão ser mais próximos.

Não tome URIPRIM:

-Em caso de aparecimento de erupção cutânea ou qualquer outro sinal ou sintoma de hipersensibilidade.

Tome especial cuidado com URIPRIM:

  • Se tiver insuficiência renal ou hepática.
  • Se estiver em tratamento com anti-hipertensores (ex. Diuréticos ou IECAs) ou sofrer de insuficiência cardíaca, pois pode ocorrer falência renal concomitante.
  • A hiperuricemia assintomática, por si só, não é uma indicação para a utilização de alopurinol. O tratamento da causa subjacente, medidas dietéticas e alterações na ingestão de líquidos poderão corrigir a situação.
  • Nos primeiros 3 a 6 meses de tratamento, porque o alopurinol pode aumentar a frequência decrises agudas de gota, por isso devem ser administradas doses profiláticas de colquicina concomitantemente.
  • Nas crianças, o alopurinol só deve ser utilizado no tratamento da hiperuricemia da doença deLesh-Nyhan e de doenças malignas, e na profilaxia da hiperuricemia de doenças malignas (no início da quimioterapia e da radioterapia).
  • Deve ingerir bastantes líquidos durante os tratamentos crónicos com URIPRIM a fim de evitara formação de cálculos renais de xantina, embora essa possibilidade seja rara. Se estiver medicado com anticoagulantes orais, os controlos da taxa de protrombina deverão ser mais próximos.
  • Este medicamento contém lactose. Não o utilize se tem insuficiência de lactase, galactosemiaou síndrome de má absorção de glucose/galactose.

Gravidez

URIPRIM deve ser usado durante a gravidez só quando for claramente necessário.

Aleitamento

Dado que URIPRIM passa para o leite, não é aconselhável administrá-lo às mulheres que amamentam.

Condução de veículos e utilização de máquinas:

Este medicamento pode provocar sonolência ou vertigens, podendo alterar a capacidade de reacção, mesmo nas doses recomendadas, pelo que a capacidade de condução de veículos ou utilização de máquinas pode ser prejudicada.

Tomar URIPRIM com outros medicamentos:

Informe o seu médico ou farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos sem receita médica.
Os citostáticos azatioprina e 6-mercaptopurina são metabolizados pela xantinoxídase, pelo que

  • alopurinol, inibindo esta enzima, diminui drasticamente a metabolização dos referidos fármacos (necessidade de reduzir a dose destes compostos). Os Uricosúricos aumentam a excreção de alopurinol e, sobretudo, do seu metabolito activo, pelo que há necessidade de aumentar a dose de alopurinol se a este se associa um uricosúrico. Deve-se evitar o uso concomitante de alopurinol e amoxicilina ou ampicilina, porque pode haver aumento da frequência de rash cutâneo. Deve-se evitar o uso concomitante de alopurinol e clorpropamida, porque pode haver risco aumentado de prolongamento da actividade hipoglicémica da clorpropamida. O alopurinol pode interferir com a metabolização hepática dos cumarínicos (anticoagulantes orais).

Como é utilizado?

Tomar URIPRIM sempre de acordo com as instruções do médico. Fale com o seu médico ou farmacêutico se tiver dúvidas.

Adultos ? Iniciar o tratamento com 100 mg por dia e ir aumentando, semanalmente, 100 mg até normalização das concentrações plasmáticas de ácido úrico. A dose média diária é, para o adulto, de 100 a 200 mg, pois raramente são necessárias doses diárias mais altas (até 600 mg). Só excepcionalmente se utilizam doses mais altas, de 700 a 800 mg por dia, nos casos de hiperuricemias secundárias ao uso de citostáticos e de algumas situações de gota tofácea grave. As doses até 300 mg devem ser tomadas de uma só vez, após as refeições. Quando são necessárias mais de 300 mg por dia, a dose diária deve ser repartida por 2 ou 3 administrações. A dose de manutenção no tratamento da gota é, em média, de 200 a 300 mg por dia, a qual deve manter-se enquanto não for possível reduzir a hiperuricemia por meios dietéticos, ou até o Médico entender que deve recorrer a outro tipo de antigotoso.
Crianças ? A dose mais vezes aconselhável é de cerca de 8 mg/kg, após as refeições, em 1 ou 2 administrações diárias. O tratamento só deve ser instituído se houver indicação clara para o uso do alopurinol e apenas durante algumas semanas (fase inicial da quimioterapia ou radioterapia anti-neoplásica); só no tratamento da hiperuricemia da doença de Lesch-Nyhan o tratamento deve manter-se enquanto for possível. Tanto nas crianças como nos adultos submetidos a doses elevadas de alopurinol é conveniente alcalinizar a urina e ingerir bastantes líquidos, de forma a assegurar uma diurese abundante.

Quando há insuficiência renal, a dose de alopurinol deve ser reduzida (para metade se a insuficiência renal for acentuada).

Se tomar mais URIPRIM do que deveria:

Não estão descritos casos de sobredose ou de intoxicação aguda com o alopurinol. Será de esperar, em tal ocorrência, a possibilidade de calculose renal e, eventualmente, agressão hepática e da medula óssea. O tratamento será de suporte geral, após monitorização das funções renal, hepática e da medula óssea. Deve alcalinizar-se a urina e proceder-se à administração de grandes quantidades de líquidos.

Caso se tenha esquecido de tomar URIPRIM:

Não tome uma dose a dobrar para compensar a dose que se esqueceu de tomar.

Quais são os possíveis efeitos secundários?

Como os demais medicamentos, URIPRIM pode ter efeitos secundários.
Os efeitos secundários são de pouca importância e de baixa incidência, desde que as doses iniciais sejam pequenas e se vão aumentando progressivamente. Podem ocorrer raras reacções de hipersensibilidade (erupção pruriginosa, macular ou maculopapular; eosinofilia, febre e mialgias). Ocasionalmente aparecem fenómenos dispépticos benignos, tonturas e cefaleias. No início do tratamento com o alopurinol podem ocorrer crises agudas de gota, pelo que se aconselha, nessa fase, o uso concomitante de colquicina. Há um caso descrito na literatura de suspeita de meningite asséptica induzida por alopurinol.

Caso detecte efeitos secundários não mencionados neste folheto, informe o seu médico ou farmacêutico.

Como deve ser guardado?

Manter fora do alcance e da vista das crianças.
Conservar na embalagem de origem. Não conservar acima de 25ºC.

Este folheto foi aprovado pela última vez emNovembro 2004

Mais informações

URIPRIM, 100 mg Comprimidos
Alopurinol

  • A substância activa é o alopurinol Os outros ingredientes são: Lactose, amido de milho, povidona, e estearato de magnésio.

Titular da Autorização de Introdução no Mercado:

Laboratórios BIAL, À Av. da Siderurgia Nacional 4745-457 S. Mamede do Coronado

O seu assistente pessoal de medicamentos

Medicamentos

Pesquise aqui a nossa extensa base de dados de medicamentos de A-Z, com efeitos e ingredientes.

Substâncias

Todas as substâncias activas com a sua aplicação, composição química e medicamentos em que estão contidas.

Doenças

Causas, sintomas e opções de tratamento para doenças e lesões comuns.

O conteúdo apresentado não substitui a bula original do medicamento, especialmente no que diz respeito à dosagem e efeito dos produtos individuais. Não podemos assumir qualquer responsabilidade pela exactidão dos dados, uma vez que os dados foram parcialmente convertidos automaticamente. Um médico deve ser sempre consultado para diagnósticos e outras questões de saúde. Mais informações sobre este tópico podem ser encontradas aqui.

This website is certified by Health On the Net Foundation. Click to verify.