Tansulosina Teva

Código ATC
G04CA02
Tansulosina Teva

Produtor: Teva Pharma - Produtos Farmacêuticos

Admissão: Portugal

Medicamentos padrão Humano
Substância(s)
Tamsulosina
Narcótica
Não
Data de aprovação 15.11.2005
Grupo farmacológico Medicamentos utilizados na hipertrofia prostática benigna

Anúncio

Tudo para saber

Titular da autorização

Teva Pharma - Produtos Farmacêuticos

Como é utilizado?

Tome sempre este medicamento exatamente como o seu médico lhe explicou. Se tiver dúvidas, fale com o seu médico ou farmacêutico.

Homens adultos incluindo os idosos

A dose habitual é uma cápsula por dia, que deve ser tomada após o pequeno-almoço ou a primeira refeição do dia.

A cápsula deve ser tomada enquanto estiver de pé ou sentado (não deitado) e deve ser engolida inteira com um copo de água.

A cápsula não deve ser mastigada, quebrada ou separada, porque pode ter efeito sobre a libertação prolongada da substância ativa.

Ao sentir-se fraco ou com tonturas após tomar Tansulosina Teva 0,4mg cápsulas de libertação modificada, deve sentar-se ou deitar-se até que os sintomas tenham desaparecido.

Se tomar mais Tansulosina Teva 0,4 mg cápsulas de libertação modificada do que deveria

Se você (ou alguém) tiver tomado muitas cápsulas de libertação modificada de Tansulosina Teva pode levar a uma descida de pressão arterial e a um aumento do ritmo cardíaco, com sensação de desmaio.

Contacte o seu médico imediatamente caso tenha tomada demasiada Tansulosina Teva 0,4 mg cápsulas de libertação modificada.

Caso se tenha esquecido de tomar Tansulosina Teva 0,4 mg cápsulas de libertação modificada

Pode tomar a sua cápsula mais tarde, no mesmo dia, caso se tenha esquecido de a tomar, conforme recomendado. Se não tomou um dia, pode continuar a tomar a sua cápsula diária como receitado. Nunca tome uma dose a dobrar para compensar uma cápsula que se esqueceu de tomar.

Se parar de tomar Tansulosina Teva 0,4 mg cápsulas de libertação modificada

Quando o tratamento com Tansulosina Teva 0,4 mg cápsulas de libertação modificada termina prematuramente, as suas queixas iniciais podem voltar. Logo, tome a Tansulosina Teva 0,4 mg cápsulas de libertação modificada durante o tempo que o seu médico receitar, mesmo que as suas queixas já tenham desaparecido. Consulte sempre o seu médico se considerar terminar esta terapêutica.

Se tiver dúvidas sobre a utilização deste medicamento, fale com o seu médico ou farmacêutico.

Quais são os possíveis efeitos secundários?

Como todos os medicamentos, Tansulosina Teva 0,4 mg cápsulas de libertação modificada pode causar efeitos secundários, no entanto estes não se manifestam em todas as pessoas.

Pare de tomar as cápsulas e informe imediatamente o seu médico ou vá ao serviço de urgências do hospital mais próximo se acontecer o seguinte:

uma reação alérgica (inchaço dos lábios, face ou pescoço, originando uma dificuldade grave em respirar, erupção na pele ou erupção na pele com comichão).

síndrome Stevens-Jonhson (pode afetar até 1 em cada 10 000 pessoas) é uma doença grave com formação de bolhas na pele, boca, olhos e genitais.

Estes efeitos secundários são muito graves mas raros. Você pode precisar de assistência médica urgente ou hospitalização.

Os seguintes efeitos secundários foram comunicados:

Frequentes (podem afetar até 1 em 10 pessoas): Tonturas

Ejaculação anormal (problemas de ejaculação). Isto significa que o sémen não sai do corpo através da uretra, mas que vai para a bexiga (ejaculação retrógrada) ou que o volume de ejaculação é reduzido ou nulo (insuficiência ejaculatória). Este fenómeno é inofensivo.

Pouco frequentes (podem afetar até 1 em 100 pessoas): Dores de cabeça

Batimentos cardíacos rápidos

Tonturas (devido a pressão arterial baixa) especialmente quando se senta ou levanta Corrimento e comichão nasal

Prisão de ventre, diarreia, náuseas, vómitos

Comichão, erupção na pele, incluindo erupção na pele com comichão Sensação de fraqueza

Raros (podem afetar até 1 em 1000 pessoas):

Desmaios

Reação alérgica grave que provoca inchaço da face ou garganta

Muito raros (menos do que 1 em 10000 pessoas):

Ereção dolorosa e prolongada que pode durar várias horas até alguns dias.

Desconhecido (a frequência não pode ser calculada a partir dos dados disponíveis) Batimentos cardíacos acelerados ou irregulares (fibrilhação auricular, arritmia, taquicardia)

Falta de ar (dispneia) Visão turva

Hemorragia nasal (epitaxis)

Erupções na pele graves (eritema multiforme, dermatite exfoliativa)

Se precisar de uma cirurgia ocular por causa da nebulosidade do cristalino (catarata) ou aumento da pressão no olho (glaucoma) e está a tomar ou já tomou cloridrato de tansulosina, a pupila pode dilatar mal e a íris (parte circular colorida do olho), pode tornar-se flexível durante o procedimento.

Comunicação de efeitos secundários

Se tiver quaisquer efeitos secundários, incluindo possíveis efeitos secundários não indicados neste folheto, fale com o seu médico ou farmacêutico. Também poderá comunicar efeitos secundários diretamente ao INFARMED, I.F. através dos contactos abaixo. Ao comunicar efeitos secundários, estará a ajudar a fornecer mais informações sobre a segurança deste medicamento.

INFARMED, I.F.

Direção de Gestão do Risco de Medicamentos Parque da Saúde de Lisboa, Av. Brasil 53 1749-004 Lisboa

Tel: +351 21 798 71 40

Fax: +351 21 798 73 97

Sítio da internet: http://extranet.infarmed.pt/page.seram.frontoffice.seramhomepage E-mail: farmacovigilancia@infarmed.pt

Como deve ser guardado?

Manter este medicamento fora da vista e do alcance as crianças.

Conservar na embalagem original.

Manter o recipiente hermeticamente fechado. Não transferir para outro recipiente.

O prazo de validade (EXP.) está impresso no rótulo do recipiente, nos blisters e na cartonagem. Não tome as cápsulas depois desta data. O prazo de validade refere-se ao último dia desse mês.

Os medicamentos não devem ser eliminados na canalização ou no lixo doméstico. Pergunte ao seu farmacêutico como eliminar os medicamentos que já não necessita. Estas medidas irão ajudar a proteger o meio ambiente.

Mais informações

Qual a composição de Tansulosina Teva 0,4 mg cápsulas de libertação modificada

A substância ativa é a tansulosina sob a forma de cloridrato.

Uma cápsula de libertação modificada contém 0,4 mg de cloridrato de tansulosina. Os outros componentes são celulose microcristalina, copolímero de ácido

metacrílico-etilacrilato, polissorbato 80, laurilsulfato de sódio, trietil citrato, talco, gelatina, indigotina (E 132), dióxido de titânio (E 171), óxido de ferro amarelo (E 172), óxido de ferro vermelho (E 172), óxido de ferro negro (E 172), shellac e propilenoglicol.

Qual o aspeto de Tansulosina Teva 0,4 mg cápsulas de libertação modificada e conteúdo da embalagem

Tansulosina Teva 0,4 mg cápsulas de libertação modificada são cápsulas de cor laranja/verde azeitona. Existe uma risca preta em ambas as extremidades do corpo da cápsula, e a marca “TSL 0,4” está impressa na cápsula a preto. As cápsulas contêm grânulos brancos a esbranquiçados.

O medicamento está disponível em embalagens de 10, 14, 20, 28, 30, 50, 56, 60, 90, 100, 180 ou 200 cápsulas.

É possível que não sejam comercializadas todas as apresentações.

Titular da Autorização de Introdução no Mercado e Fabricante

Titular da Autorização de Introdução no Mercado Teva Pharma - Produtos Farmacêuticos, Lda. Lagoas Park, Edifício 5-A, Piso 2

2740-245 Porto Salvo Portugal

Fabricante

Synthon B.V., Holanda

Synthon Hispania S.L

Quinta-Analytica s.r.o

Este folheto foi revisto pela última vez em

Última actualização: 08.08.2022

Fonte: Tansulosina Teva - Inserção da embalagem

O seu assistente pessoal de medicamentos

Medicamentos

Pesquise aqui a nossa extensa base de dados de medicamentos de A-Z, com efeitos e ingredientes.

Substâncias

Todas as substâncias activas com a sua aplicação, composição química e medicamentos em que estão contidas.

Doenças

Causas, sintomas e opções de tratamento para doenças e lesões comuns.

O conteúdo apresentado não substitui a bula original do medicamento, especialmente no que diz respeito à dosagem e efeito dos produtos individuais. Não podemos assumir qualquer responsabilidade pela exactidão dos dados, uma vez que os dados foram parcialmente convertidos automaticamente. Um médico deve ser sempre consultado para diagnósticos e outras questões de saúde. Mais informações sobre este tópico podem ser encontradas aqui.

This website is certified by Health On the Net Foundation. Click to verify.