Autor: Ratiopharm - Comércio e Indústria de Produtos Farmacêuticos, Lda.


Informação longa

O que é e como se utiliza?

Paroxetina ratiopharm é um tratamento para adultos com depressão e/ou perturbações da ansiedade.
As perturbações da ansiedade para as quais Paroxetina ratiopharm é utilizado para tratar são:

  • perturbação obsessivo-compulsiva (pensamentos repetitivos e obsessivos comcomportamento incontrolável).
  • Perturbação de pânico (ataques de pânico, incluindo os provocados por agorafobia,que é o medo de espaços abertos).
  • Perturbação de ansiedade social (medo de ou evitar situações sociais).
  • Perturbação de stress pós-traumático (ansiedade provocada por um acontecimentotraumático).
  • Perturbação de ansiedade generalizada (sentir-se geralmente muito ansioso ounervoso).

Paroxetina ratiopharm pertence a um grupo de medicamentos chamados ISRS (inibidores selectivos de recaptação da serotonina). Todas as pessoas possuem uma substância chamada serotonina no seu cérebro. As pessoas que estão deprimidas ou ansiosas têm níveis mais baixos de serotonina do que os outros. Não se compreende totalmente como Paroxetina ratiopharm e os outros ISRS funcionam mas podem ajudar

aumentando o nível de serotonina no cérebro. O tratamento adequado da depressão e das perturbações da ansiedade é importante para o ajudar a sentir-se melhor.

Índice
O que se deve tomar em consideração antes de utilizá-lo?
Como é utilizado?
Quais são os possíveis efeitos secundários?
Como deve ser guardado?
Mais informações

O que se deve tomar em consideração antes de utilizá-lo?

Não tome Paroxetina ratiopharm

  • se está a tomar medicamentos chamados inibidores da monoamino-oxidase (IMAO, incluindo a moclobemida), ou os tomou em qualquer altura durante as últimas duas semanas. O seu médico irá aconselhá-lo sobre como deve começar a tomar Paroxetina ratiopharm após ter deixado de tomar IMAO.
  • Se está a tomar um antipsicótico chamado tioridazina ou um antipsicótico chamado pimozida
  • se tem hipersensibilidade (alergia) à paroxetina ou a qualquer outro componente de Paroxetina ratiopharm. (ver secção 6 "Outras informações")

Tome especial cuidado com Paroxetina ratiopharm
Verifique com o seu médico
Está a tomar quaisquer outros medicamentos (ver ?Ao tomar Paroxetina ratiopharm com outros medicamentos?, neste folheto)?
Tem problemas de coração, fígado ou rins?
Tem epilepsia ou tem uma história de crises ou convulsões?
Alguma vez sofreu de episódios de mania (comportamento ou pensamentos hiperactivos)?
Está a realizar terapia electroconvulsiva (TEC)?
Tem antecedentes de problemas hemorrágicos, ou está a tomar medicamentos que possam aumentar o risco de hemorragia (estes incluem medicamentos para fluidificar o sangue, tais como a varfarina, antipsicóticos tais como perfenazina ou clozapina, antidepressivos tricíclicos, medicamentos utilizados para a dor e a inflamação chamados anti-inflamatórios não esteróides ou AINEs, tais como ácido acetilsalicílico, ibuprofeno, celecoxib, etodolac, diclofenac, meloxicam)?
Tem diabetes?
Está a realizar uma dieta pobre em sódio?
Tem glaucoma de ângulo estreito ou história de glaucoma (pressão no olho)? Está grávida ou a planear engravidar (ver ?Gravidez, aleitamento? neste folheto)? Tem menos de 18 anos de idade (ver ?Crianças e adolescentes com idade inferior a 18 anos?, neste folheto)?

Crianças e adolescentes com idade inferior a 18 anos
Paroxetina ratiopharm não deve ser utilizado em crianças e adolescentes com idade inferior a 18 anos. Importa igualmente assinalar que os doentes com idade inferior a 18 anos correm maior risco de sofrer efeitos secundários tais como, tentativa de suicídio, ideação suicida e hostilidade (predominantemente agressividade, comportamento de oposição e cólera) quando tomam Paroxetina ratiopharm. Se o seu médico prescreveu

Paroxetina ratiopharm para si (ou para o seu filho) e gostaria de discutir esta questão, queira voltar a contactá-lo. Deverá informar o seu médico se algum dos sintomas acima mencionados se desenvolver ou piorar quando estiver a tomar (ou o seu filho estiver a tomar) Paroxetina ratiopharm. Igualmente ainda não foram demonstrados os efeitos de segurança a longo prazo no que respeita ao crescimento, à maturação e ao desenvolvimento cognitivo e comportamental de Paroxetina ratiopharm neste grupo etário.

Em estudos com Paroxetina ratiopharm em indivíduos com menos de 18 anos, os efeitos secundários frequentes que afectaram menos de 1 em 10 crianças/adolescentes foram: um aumento dos pensamentos suicidas e das tentativas de suicídio, auto-agressão deliberada, ser hostil, agressivo ou pouco amigável, falta de apetite, tremores, sudação anormal, hiperactividade (ter demasiada energia), agitação, alterações emocionais (incluindo choro e alterações de humor). Estes estudos também demonstraram que os mesmos sintomas afectam as crianças e os adolescentes que tomam comprimidos de açúcar (placebo) em vez de Paroxetina ratiopharm, embora tenham sido observados com menor frequência.

Alguns doentes, nestes estudos com idade inferior a 18 anos, tiveram efeitos de abstinência quando deixaram de tomar Paroxetina ratiopharm. Estes efeitos foram praticamente idênticos aos observados em adultos após pararem de tomar Paroxetina ratiopharm (ver secção 3 ?Como tomar Paroxetina ratiopharm?, neste folheto). Para além disso, os doentes com idade inferior a 18 anos sentiram, frequentemente (afectando menos de 1 em 10), dores de estômago, sentimento de nervosismo e alterações emocionais (incluindo choro, alterações de humor, tentativas de se auto-agredirem, pensamentos suicidas e tentativas de suicídio).

Pensamentos de suicídio e agravamento da sua depressão ou ansiedade Se tem depressão e/ou perturbações de ansiedade pode, por vezes, ter pensamentos de se auto-agredir ou de se matar. Estes pensamentos podem aumentar quando começa a tomar antidepressivos, dado que todos estes medicamentos demoram algum tempo a fazer efeito, usualmente cerca de duas semanas, mas por vezes mais.
Pode estar mais predisposto a ter estes pensamentos:

  • Caso já tenha tido pensamentos de se matar ou de infligir sofrimento a si próprio.
  • Caso seja um adulto jovem. A informação de ensaios clínicos demonstrou umaumento do risco para comportamento suicida em adultos com idade inferior a 25 anos com perturbações do foro psiquiátrico que foram tratados com um antidepressivo. Caso tenha pensamentos de se magoar ou de se matar, independentemente do momento, informe o seu médico ou dirija-se a um hospital imediatamente. Pode ser benéfico contar a um amigo próximo ou a um familiar que está deprimido ou tem uma perturbação da ansiedade, e pedir-lhes para lerem este folheto. Pode pedir-lhes para lhe dizerem se pensam que a sua depressão ou a sua perturbação da ansiedade se está a agravar, ou se estão preocupados com alterações no seu comportamento.

Efeitos secundários importantes observados com Paroxetina ratiopharm

Alguns doentes que tomam Paroxetina ratiopharm desenvolvem uma condição chamada acatisia, que envolve o sentirem-se inquietos e sentirem que não conseguem estar sentados ou parados. Outros doentes desenvolvem uma condição chamada síndrome da serotonina, em que apresentam todos ou alguns dos seguintes sintomas: sensação de confusão, sensação de inquietação, sudação, tremores, arrepios, alucinações (visões ou sons estranhos), contracções súbitas dos músculos ou aceleração do ritmo cardíaco. Caso detecte algum destes sintomas, informe o seu médico. Para mais informação sobre estes ou outros efeitos secundários de Paroxetina ratiopharm, ver secção 4 ?Efeitos Secundários Possíveis?, neste folheto.

Ao tomar Paroxetina ratiopharm com outros medicamentos
Alguns medicamentos podem alterar a forma de actuação de Paroxetina ratiopharm, ou tornar maior a probabilidade de que tenha efeitos secundários. Paroxetina ratiopharm também pode afectar a forma como actuam outros medicamentos. Estes incluem:

  • Medicamentos chamados inibidores da monoaminoxidase (IMAOs, incluindo a moclobemida) ? ver ?Não tome Paroxetina ratiopharm?, neste folheto.
  • Tioridazina ou pimozida, que são antipsicóticos ? ver ?Não tome Paroxetina ratiopharm?, neste folheto. - Ácido acetilsalicílico, ibuprofeno ou outros medicamentos chamados AINEs (anti-inflamatórios não esteróides) tais como celecoxib, etodolac, diclofenac e meloxicam, utilizados para a dor e a inflamação.
  • Tramadol, um analgésico.
  • Medicamentos chamados triptanos, tais como o sumatriptano, utilizado para tratar aenxaqueca
  • Outros antidepressivos incluindo outros ISRS e antidepressivos tricíclicos tais comoclomipramina, nortriptilina e desipramina.
  • Suplementos dietéticos chamados triptofano e oxitriptano (também conhecido como 5-hidroxitriptofano).
  • Medicamentos tais como lítio, risperidona, perfenazina, clozapina (chamadosantipsicóticos) utilizados para tratar algumas perturbações do foro psiquiátrico.
  • Uma combinação de fosamprenavir e ritonavir, que é utilizada para tratar infecçõespelo Vírus da Imunodeficiência Humana (VIH).
  • Erva de S. João, uma preparação à base de ervas para tratar a depressão.
  • Fenobarbital, fenitoína, valproato de sódio ou carbamazepina, utilizados para tratarconvulsões ou epilepsia.
  • Atomoxetina que é utilizada para tratar a perturbação de hiperactividade e défice deatenção (PHDA).
  • Prociclidina, utilizada para diminuir o tremor, especialmente na Doença de Parkinson.
  • Varfarina ou outros medicamentos (chamados anticoagulantes) utilizados parafluidificar o sangue.
  • Propafenona, flecainida e medicamentos utilizados para tratar um ritmo cardíacoirregular.
  • Metoprolol, um beta bloqueador utilizado para tratar pressão arterial alta e problemascardíacos.
  • Rifampicina, utilizada para tratar tuberculose (TB) e lepra.
  • Linezolida, um antibiótico.

Caso esteja a tomar ou tenha tomado recentemente algum dos medicamentos desta lista, e ainda não informou o seu médico sobre esse facto, regresse ao seu médico e peça informação sobre o que deve fazer. A dose pode necessitar de ser alterada ou pode necessitar que lhe seja prescrito outro medicamento ou o seu médico poderá querer fazer-lhe uma monitorização mais apertada.
Informe o seu médico ou farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica.

Ao tomar Paroxetina ratiopharm com alimentos e bebidas
Não tome bebidas alcoólicas enquanto estiver a tomar Paroxetina ratiopharm. O álcool pode agravar os seus sintomas ou os efeitos secundários.

Gravidez, aleitamento
Se já se encontra a tomar Paroxetina ratiopharm e descobriu que está grávida, informe imediatamente o seu médico. De igual modo, caso esteja a planear engravidar, informe

  • seu médico. Isto deve-se ao facto de alguns estudos sugerirem um aumento do risco para deficiências cardíacas em bebés a cujas mães foi administrado Paroxetina ratiopharm nos primeiros meses de gravidez. Estes estudos verificaram que menos de 2 em 100 bebés (2 %), cujas mães tomaram paroxetina nas primeiras fases da gravidez, tinham uma deficiência cardíaca, em comparação com a prevalência normal de 1 em 100 bebés (1 %) observada na população em geral. Quando são tidos em consideração todos os tipos de deficiências congénitas, não existe qualquer diferença no número de bebés nascidos com deficiências congénitas quando as mães tomaram Paroxetina ratiopharm durante a gravidez quando comparado com o número global de defeitos congénitos que ocorrem na população em geral. Pode decidir juntamente com o seu médico que é melhor para si mudar para outro tratamento ou deixar de tomar gradualmente Paroxetina ratiopharm enquanto estiver grávida. No entanto, dependendo das circunstâncias, o seu médico pode sugerir que é melhor para si continuar a tomar Paroxetina ratiopharm.

Assegure-se que a sua parteira e/ ou o seu médico são informados de que está a tomar Paroxetina ratiopharm.
Os medicamentos tais como Paroxetina ratiopharm, quando tomados durante a gravidez, em particular numa fase final da gravidez podem aumentar o risco de ocorrência de uma situação grave nos bebés, chamada de hipertensão pulmonar persistente no recém-nascido (HPPRN). Na HPPRN, a pressão sanguínea dos vasos entre o coração e os pulmões do bebé é muito alta.

Se estiver a tomar Paroxetina ratiopharm nos últimos 3 meses de gravidez, informe o seu obstetra e/ou parteira já que o seu bebé pode apresentar alguns sintomas quando nascer. Estes sintomas normalmente iniciam-se durante as primeiras 24 horas após o nascimento do bebé. Incluem incapacidade de dormir ou de se alimentar adequadamente, problemas respiratórios, respiração acelerada uma pele azulada ou

estar demasiado quente ou demasiado frio, estar enjoado, chorar muito, músculos rígidos ou moles, letargia, tremores, crises nervosas ou convulsões. Se o seu bebé apresentar algum destes sintomas quando nascer e estiver preocupada, informe o seu médico ou parteira que a poderão aconselhar.

Paroxetina ratiopharm pode passar para o leite materno em quantidades muito pequenas. Se estiver a tomar Paroxetina ratiopharm, consulte e informe o seu médico antes de começar a amamentar. Pode decidir juntamente com o seu médico que pode amamentar enquanto toma Paroxetina ratiopharm.

Condução de veículos e utilização de máquinas
Os efeitos secundários possíveis de Paroxetina ratiopharm incluem tonturas, confusão, sonolência ou visão turva. Caso detecte estes efeitos secundários, não conduza nem utilize máquinas.

Como é utilizado?

Dose Número de comprimidos a tomar 10 mg Metade de um comprimido 20 mg Um comprimido 30 mg Um comprimido e meio 40 mg Dois comprimidos 50 mg Tome Paroxetina ratiopharm sempre de acordo com as indicações do médico. Fale com o seu médico ou farmacêutico se tiver dúvidas. Por vezes poderá necessitar de tomar mais de um comprimido ou de metade de um comprimido. Esta tabela indica quantos comprimidos deve tomar. Dois comprimidos e meio 60 mg Três comprimidos

As doses habituais para as várias condições estão indicadas na tabela seguinte.

Dose inicial Dose diária recomendada Dose diária máxima Depressão 20 mg 20 mg 50 mg 20 mg 40 mg 60 mg Perturbação Obsessivo-Compulsiva Perturbação de Pânico 10 mg 40 mg 60 mg 20 mg 20 mg 50 mg Perturbação de Ansiedade Social 20 mg 20 mg 50 mg Perturbação de Stress Pós-Traumático 20 mg 20 mg 50 mg Perturbação de Ansiedade Generalizada

O seu médico irá informá-lo sobre qual a dose a tomar quando iniciar o tratamento com Paroxetina ratiopharm. A maioria das pessoas começa a sentir-se melhor após cerca de duas semanas. Caso não se sinta melhor após este período, informe o seu médico que o irá aconselhar. O seu médico pode decidir aumentar gradualmente a dose, 10 mg de cada vez, até à dose diária máxima.

Tome os seus comprimidos de manhã com alimentos. Isso vai reduzir a probabilidade de se sentir enjoado (náuseas).

Engula os comprimidos com um copo de água.

Não mastigue os comprimidos.

O seu médico irá informá-lo sobre quanto tempo irá necessitar de tomar os comprimidos. A duração poderá ser de muitos meses ou mesmo superior.

Pessoas idosas
A dose máxima para pessoas com idade superior a 65 anos é de 40 mg por dia.

Pessoas com doenças hepáticas ou renais
Se tiver problemas de fígado ou uma doença renal grave, o seu médico pode decidir que deve tomar uma dose mais baixa de Paroxetina ratiopharm do que o habitual.

Se tomar mais Paroxetina ratiopharm do que deveria
Nunca tome mais comprimidos do que os indicados pelo seu médico. Caso tome demasiados comprimidos de Paroxetina ratiopharm (ou outra pessoa o faça), informe de imediato o seu médico ou um hospital. Mostre-lhes a embalagem dos comprimidos. Alguém com uma sobredosagem de Paroxetina ratiopharm pode apresentar qualquer um dos sintomas listados na secção 4 ?Efeitos secundários possíveis?, ou os seguintes sintomas: sensação de enjoo, dilatação das pupilas, febre, dores de cabeça, contracção incontrolável dos músculos.

Caso se tenha esquecido de tomar Paroxetina ratiopharm
Tome o seu medicamento todos os dias à mesma hora.
Caso se tenha esquecido de tomar uma dose, e se lembrar antes de ir para a cama, tome-a de imediato. Continue como habitualmente no dia seguinte.
Caso só se lembre durante a noite, ou no dia seguinte, não tome a dose que se esqueceu de tomar. Possivelmente, poderá ter efeitos de abstinência, mas estes deverão desaparecer após tomar a dose seguinte à hora habitual.

O que fazer se não se estiver a sentir melhor
Paroxetina ratiopharm não irá aliviar os seus sintomas imediatamente ? todos os antidepressivos demoram algum tempo a fazer efeito. Algumas pessoas começam a sentir-se melhor passado cerca de duas semanas, mas para outras poderá demorar mais tempo. Algumas pessoas que tomam antidepressivos sentem primeiro um agravamento

antes de sentirem uma melhoria. Caso não comece a sentir-se melhor após cerca de duas semanas, informe o seu médico que o irá aconselhar. O seu médico deve pedir para o voltar a ver algumas semanas após o início do tratamento. Informe o seu médico se não começou a sentir-se melhor.

Se parar de tomar Paroxetina ratiopharm
Não pare de tomar Paroxetina ratiopharm até que o seu médico lhe diga para o fazer. Quando parar o tratamento com Paroxetina ratiopharm, o seu médico irá ajudá-lo a reduzir a sua dose lentamente durante algumas semanas ou meses ? este procedimento deve ajudar a reduzir o risco de ocorrência de efeitos de abstinência. Uma forma de o fazer é reduzir gradualmente a dose que toma de Paroxetina ratiopharm em 10 mg por semana. A maioria das pessoas considera que quaisquer sintomas aquando da descontinuação de Paroxetina ratiopharm são suaves e desaparecem por si próprios no prazo de duas semanas. Para algumas pessoas, estes sintomas podem ser mais graves, ou durarem mais tempo.

Se tiver efeitos de abstinência quando está a deixar de tomar os seus comprimidos, o seu médico pode decidir que deve deixar de os tomar mais lentamente. Se tiver efeitos de abstinência graves quando parar de tomar Paroxetina ratiopharm, consulte o seu médico. Ele pode pedir-lhe para voltar a tomar os comprimidos e fazer um desmame mais lento.

Mesmo que tenha efeitos de abstinência, poderá sempre parar de tomar Paroxetina ratiopharm.

Efeitos de abstinência possíveis quando se pára o tratamento
Estudos demonstraram que 3 em cada 10 doentes detectam um ou mais sintomas quando param de tomar Paroxetina ratiopharm. Alguns efeitos de abstinência quando se pára o tratamento ocorrem com mais frequência do que outros.

Efeitos secundários frequentes, com probabilidade de afectar até 1 em cada 10 pessoas:

  • Sensação de tontura, instabilidade ou desequilíbrio.
  • Sensação de formigueiros, sensações de queimadura e (menos frequentemente)sensações de choque eléctrico, incluindo na cabeça, e zumbido, sibilo, assobio, zunido ou outro ruído persistente nos ouvidos (tinido).
  • Perturbações do sono (sonhos vividos, pesadelos, incapacidade de dormir).
  • Sensação de ansiedade.
  • Dores de cabeça.

Efeitos secundários pouco frequentes, com probabilidade de afectar até 1 em cada 100 pessoas:

  • Sensação de enjoo (náusea).
  • Sudação (incluindo suores nocturnos).
  • Sensação de inquietação ou agitação.
  • Tremor (falta de firmeza).
  • Sensação de confusão ou desorientação.
  • Diarreia (fezes moles).
  • Sensação de fragilidade emocional ou irritabilidade.
  • Distúrbios visuais.
  • Ritmo cardíaco irregular ou pesado (palpitações).

Consulte o seu médico caso esteja preocupado com os efeitos de abstinência quando parar de tomar Paroxetina ratiopharm.

Caso ainda tenha dúvidas sobre a utilização deste medicamento, fale com o seu médico ou farmacêutico.

Quais são os possíveis efeitos secundários?

Como todos os medicamentos, Paroxetina ratiopharm pode causar efeitos secundários, no entanto estes não se manifestam em todas as pessoas. Os efeitos secundários têm maior probabilidade de surgir nas primeiras semanas em que toma Paroxetina ratiopharm.

As frequências são definidas como

afectam mais de 1 em 10 utilizadores muito frequentes frequentes afectam 1 a 10 utilizadores em 100 afectam 1 a 10 utilizadores em 1.000 pouco frequentes raros afectam 1 a 10 utilizadores em 10.000 muito raros afectam menos de 1 em 10.000 utilizadores desconhecido a frequência não pode ser calculada a partir dos dados disponíveis

Caso aconteça algum dos seguintes, pare de tomar o medicamento e informe o seu médico ou dirija-se ao serviço de urgências do hospital mais próximo.

Pouco frequentes:

  • Hemorragias ou hematomas fora do comum, incluindo vomitar sangue ou apresentarsangue nas fezes.
  • Incapacidade de urinar.

Raros:

  • Convulsões (crises epilépticas).
  • Caso se sinta irrequieto e sinta que não pode estar sentado ou quieto, pode ter umproblema chamado acatisia. Aumentar a sua dose de Paroxetina ratiopharm pode agravar essas sensações.
  • Caso se sinta cansado, fraco ou confuso e tenha músculos doridos, rígidos ou descoordenados, isso pode ser devido à baixa quantidade de sódio no seu sangue.
  • Se tem todos ou algum dos seguintes sintomas pode ter um problema chamado síndrome neuroléptica maligna. Os sintomas incluem: rigidez muscular, febre, sensação de confusão, frequência cardíaca acelerada, sudação, tremores, contracções súbitas dos músculos.

Muito raros:

  • Reacções alérgicas a Paroxetina ratiopharm. Os sintomas incluem: erupção cutânea avermelhada e rugosa, inchaço das pálpebras, face, lábios, boca ou língua, comichão, dificuldade em respirar ou engolir.
  • Se tem todos ou algum dos seguintes sintomas pode ter um problema chamado síndroma serotoninérgica. Os sintomas incluem: sensação de confusão, sensação de agitação, sudação, tremores, arrepios, alucinações (visões ou sons estranhos), contracções súbitas dos músculos ou uma frequência cardíaca acelerada.
  • Glaucoma agudo. Os sintomas incluem: olhos doridos e visão turva.
  • Insuficiência hepática.

Desconhecido:

  • Foram notificados casos de ideação suicida e de comportamento suicida durante o tratamento com paroxetina ou nos primeiros tempos após a descontinuação do tratamento (ver «Tome especial cuidado com Paroxetina ratiopharm »).

Todos estes são efeitos secundários muito graves. Pode necessitar de assistência médica urgente ou de internamento.

Outros efeitos secundários possíveis durante o tratamento

Muito frequentes:

  • Sensação de enjoo (náusea). Tomar os seus comprimidos de manhã com alimentosreduz o risco de isto acontecer.
  • Alterações no desejo sexual ou na função sexual. Por exemplo, não conseguir atingir oorgasmo e, nos homens, erecção e ejaculação anormais.

Frequentes:

  • Aumentos do nível de colesterol no sangue.
  • Falta de apetite.
  • Dormir mal (insónia) ou sentir sonolência.
  • Sensação de tonturas ou de falta de firmeza (tremores).
  • Sensação de agitação.
  • Sensação de fraqueza não habitual.
  • Visão turva.
  • Bocejo, boca seca.
  • Diarreia ou obstipação.
  • Ganho de peso.
  • Sudação.

Pouco frequentes:

  • Aumento ou diminuição breves de pressão arterial, um ritmo cardíaco mais acelerado do que o normal.
  • Falta de movimento, rigidez, tremor ou movimentos anormais na boca e na língua.
  • Erupções cutâneas.
  • Sensação de confusão.
  • Ter alucinações (imagens e sons estranhos).
  • Urinar sem controlo ou de forma involuntária (incontinência urinária).

Raros:

  • Produção anormal de leite mamário em homens e mulheres.
  • Ritmo cardíaco lento.
  • Efeitos sobre o fígado detectados em análises sanguíneas da função hepática.
  • Ataques de pânico.
  • Comportamento ou pensamentos hiperactivos (mania).
  • Sensação de estar desligado de si próprio (despersonalização).
  • Sensação de ansiedade.
  • Dor nas articulações ou nos músculos.

Muito raros:

  • Problemas hepáticos que provocam o amarelecimento da pele e das córneas.
  • Retenção de água ou de líquidos que pode provocar inchaço dos braços e das pernas.
  • Sensibilidade à luz solar.
  • Erecção dolorosa do pénis que não desaparece.
  • Contagem baixa das plaquetas (aumenta o risco de hemorragia ou equimose).

Alguns doentes sentiram zumbido, sibilo, assobio, zunido ou outro ruído persistente nos ouvidos (tinido) quando tomaram Paroxetina ratiopharm.

Foi observado um risco aumentado de fracturas ósseas em doentes que tomam este tipo de medicamentos.

Podem ocorrer sintomas de privação se o tratamento for interrompido abruptamente (por favor, ver " Se parar de tomar Paroxetina ratiopharm")

Se tiver alguma dúvida enquanto estiver a tomar Paroxetina ratiopharm, fale com o seu médico ou farmacêutico que o poderão aconselhar. Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar quaisquer efeitos secundários não mencionados neste folheto, informe o seu médico ou farmacêutico.

Como deve ser guardado?

Manter fora do alcance e da vista das crianças.

Não utilize Paroxetina ratiopharm após o prazo de validade impresso no rótulo e na embalagem exterior. O prazo de validade corresponde ao último dia do mês indicado.

Embalagem de comprimidos branca em polietileno de alta densidade (HDPE): Não conservar acima de 25 °C.
Conservar na embalagem de origem para proteger da humidade.
Embalagens ?blister? de Alumínio ? PVC/Alumínio/OPA:
Conservar na embalagem de origem para proteger da humidade.

Os medicamentos não devem ser eliminados na canalização ou no lixo doméstico. Pergunte ao seu farmacêutico como eliminar os medicamentos de que já não necessita. Estas medidas irão ajudar a proteger o ambiente.

Mais informações

Qual a composição de Paroxetina ratiopharm

A substância activa é a paroxetina.
Cada comprimido revestido por película contém 20 mg de paroxetina (como cloridrato).

Os outros componentes são:
Hidrogenofosfato de cálcio anidro, sílica coloidal anidra, estearato de magnésio, carboximetilamido sódico (tipo A), talco, dióxido de titânio (E 171), copolímero básico de metacrilato de butilo.

Qual o aspecto de Paroxetina ratiopharm e conteúdo da embalagem
Comprimidos revestidos por película, brancos, convexos, marcados com ?P 2? e com uma ranhura de um lado, e com ?G? no outro.

Embalagens de 10, 12, 14, 20, 21, 28, 30, 50, 56, 58, 60, 98, 100, 200, 250 ou 500 comprimidos revestidos por película.

É possível que não sejam comercializadas todas as apresentações.

Titular da Autorização de Introdução no Mercado

ratiopharm, Lda
EDIFÍCIO TEJO, 6º piso
Rua Quinta do Pinheiro
2790-143 Carnaxide

Este folheto foi aprovado pela última vez em

Cookies help us deliver our services. By using our services, you agree to our use of cookies. OK